O hábito de se automedicar está disseminado no Brasil e as conseqüências desta mania nacional muitas vezes trazem prejuízos graves à saúde da população. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), preocupada com o descontrole no consumo dos medicamentos, está fazendo seminários pelo País afora para discutir o problema e acredita que o caminho é informar e alertar a população sobre o uso indiscriminado de remédios. Segundo técnicos da agência, a informação e a educação de médicos, farmacêuticos, enfermeiros e outros profissionais da saúde, com relação à prescrição, dispensação e orientação do usuário de medicamentos, é relevante para combater o uso indiscriminado.

DADOS SOBRE O USO NÃO-RACIONAL DE MEDICAMENTOS

* 15% da população brasileira consome quase toda a produção da indústria farmacêutica.

* De 25 a 70% do gasto em saúde nos países em desenvolvimento corresponde a medicamentos.

* De 50 a 70% das consultas médicas geram prescrição medicamentosa.

* 50% de todos os medicamentos são prescritos, dispensados ou usados inadequadamente.

* 75% das prescrições com antibióticos são errôneas.

* Somente 50% dos pacientes, em média, tomam corretamente seus medicamentos.

* Cresce constantemente a resistência da maioria dos microrganismos causadores de enfermidades infecciosas prevalentes.

* Aos dois anos de idade, algumas crianças recebem aproximadamente 20 aplicações medicamentosas injetáveis.

* A metade dos consumidores compra medicamentos para tratamento de um só dia.

* Cerca de 50% de todas as prescrições de antibióticos são feitas para crianças de 0 a 4 anos. 

Fonte: Anvisa