Paraná não registra casos
de pólio desde 1986.

No Paraná já está tudo preparado para a segunda etapa da Campanha Nacional de Vacinação contra a poliomielite, também conhecida como paralisia infantil. A Secretaria de Saúde trabalha com uma meta de vacinar, no próximo sábado, 900 mil crianças contra a pólio e 735 mil a tríplice viral. A campanha se estenderá até 3 de setembro.

A chefe do Departamento de Doenças Imunopreveníveis da secretaria, Mirian Woiski, explica que essa etapa tem um apelo especial. Além da gotinha, as crianças menores de cinco anos vão receber a vacina tríplice viral (VTV), que protege contra sarampo, rubéola e caxumba. O objetivo do Ministério da Saúde (MS) é vacinar 95% das crianças com menos de cinco anos que vivem no Estado, mas a Secretaria da Saúde do Paraná pretende vacinar 100% da população nesta faixa etária, colocando à disposição 1,07 milhão doses de vacina tríplice viral e 1,5 milhão de vacina Sabin.

No sábado, 4,3 mil postos de saúde atenderão em todo o Estado, envolvendo 11 mil pessoas. Nos outros dias, 2,5 mil postos e 7,5 mil pessoas participarão da mobilização. Todas as crianças menores de cinco anos, mesmo as que tomaram a vacina na primeira etapa da campanha deste ano, precisam receber a segunda dose contra a pólio. Em relação à vacina contra o sarampo, esse tipo de campanha é realizado pelo Ministério a cada cinco anos. Enquanto a vacina contra a pólio imuniza a criança com uma simples gotinha, a tríplice viral é aplicada por meio de injeção e só pode ser feita por um profissional de saúde capacitado.

O último caso confirmado de sarampo no Paraná ocorreu em 1999 em São José dos Pinhais e de polio não há nenhum caso no Brasil desde 1989, e no Paraná desde 1986. Na primeira fase da vacinação contra a pólio, encerrada em 11 de junho, o Paraná superou a meta do Ministério da Saúde vacinando quase 97% das crianças com menos de cinco anos.