Dores na movimentação da mandíbula, na cabeça, face, ombros e pescoço. Dificuldade para deglutir, sensação de fadiga mandibular e estalos ao abrir e fechar a boca. Esses são alguns dos sintomas que caracterizam a disfunção na articulação temporomandibular (ATM).
“A ATM, único osso móvel da face que nos permite abrir e fechar a boca é passível de distúrbios principalmente em mulheres do lar, acima de 35 anos, pois elas estão mais propensas às alterações posturais, devido ao estresse e as tarefas realizadas no cotidiano”, explica o fisioterapeuta Alexandre Henrique Nowotny, professor do curso de Disfunções Crânio Mandibular – ATM, ofertado pelo Colégio Brasileiro de Estudos Sistêmicos (CBES).

Na maiorias das vezes, as pessoas demoram a encontrar o especialista correto para o tratamento porque as disfunções não causam dores exatamente no local da lesão, mas em outras áreas da cabeça. Esses pacientes acabam procurando neurologistas, otorrinos, dentistas – profissionais que tomam por si a responsabilidade do diagnóstico e tratamento – e até psiquiatras. “Em média de seis meses até o diagnóstico, o paciente procura um neurologista pelas dores de cabeça, um otorrino pelas dores e zumbido no ouvido, ortopedista pelas dores cervicais, psiquiatras por problemas de despressão causada pela dor contínua e, finalmente, dentistas e profissionais de fisioterapia”, argumenta Nowotny.

O distúrbio de ATM pode ter várias causas, mas uma das mais importantes é a mordida inadequada – encaixe inadequado dos dentes. Isso acontece quando ocorre a má-oclusão. Nesse caso, a mordida é cruzada ou aberta. Dentes tortos podem ocasionar o problema, esse que pode ser tratado pelo profissional de odontologia.

Na questão do distúrbios de ATM, o auxílio do fisioterapeuta, conforme o professor, é de suma importancia, pois ajuda a definir as reais causas da disfunção da ATM como a auricular, articular da ATM e cervical. “Os fisioterapeutas podem contribuir significativamente no alívio de dor (inflamação), auxiliar na melhora da mobilidade do músculo ATM, no espaçamento de crises e na melhora da postura”, enfatiza.

Curso

– O curso de Curso de Disfunções Crânio Mandibular – ATM ofertado pelo CBES engloba desde a evolução e etiologia das patologias da ATM até o tratamento fisioterapêutico. O professor Alexandre Henrique Nowotny, que vai ministrar as aulas, é especialista em anatomocinesiologia e morfologia humana para a reabilitação é mestre em motricidade.

Serviço

– Curso de Disfunções Crânio Mandibular

Período do Curso: Dias 24 de outubro de 2002 – 19h às 22h
25 de outubro de 2002 – 8h à 18h
26 de outubro de 2002 – 8h às 18h

Carga Horária: 20 horas

Público Alvo: Fisioterapeutas e acadêmicos ultimanistas

Local: Colégio Brasileiro de Estudos Sistêmicos (CBES)
Rua Lourenço Pinto, 190, Centro, Curitiba (PR).

Informações: (41) 225-6670