Em Maceió, as melhores
opções de praia ficam no
norte, como a bela Pajuçara.

Alagoas será uma das atrações de hoje, em Curitiba, do TAM Show, um encontro realizado em doze cidades (onze no Brasil mais Buenos Aires), pela companhia aérea, como forma de fomentar o turismo interno e internacional, com a utilização de seus serviços. Para o evento de hoje, a subsecretária de Turismo de Maceió, Cláudia Pessoa, juntamente com Lia Porto, representando a Secretaria Estadual de Turismo de Alagoas, já confirmaram presença para divulgar os destinos mais bem estruturados do estado nordestino.

Mas O Estado esteve há duas semanas na terra das Alagoas para conferir de perto algumas das principais atrações que serão mostradas no encontro de hoje, que vai acontecer das 13h às 19h no Shopping Novo Batel. ?Através do TAM Show, temos a oportunidade de estreitar nossos laços e apresentar algumas das nossas principais atrações?, comenta Cláudia Pessoa. Já para Lia Porto, o evento será uma forma de demonstrar que Alagoas é muito mais que ?apenas? as mais belas praias de coqueirais do Nordeste do Brasil. ?Em Alagoas, temos diversas opções de passeios aos visitantes que, além de serem recebidos com hospitalidade, poderão se inteirar de fatos históricos com riqueza de detalhes e conhecer os locais onde fatos importantes aconteceram?, pondera Lia Porto.

História

Mergulho às cavernas
dos arrecifes de coral:
visão privilegiada para
os mais experientes.

Uma capital de aproximadamente 850 mil habitantes, situada a cerca de 10 graus ao sul do Equador, onde se instalou o Porto de Maceió, hoje situado no bairro do Jaraguá, foi o local onde se iniciaram a colonização e a ocupação de Alagoas, que se desmembrou de Pernambuco há 188 anos.

O visitante pode iniciar o ?desbravamento? pelo Palácio do Comércio, que foi construído nos anos vintes do século passado. Situado no bairro do Jaraguá, guarda um pouco da história da classe que ajudou a lutar pela independência do Brasil. Em estilo neoclássico, o prédio é imponente e o mais belo do bairro do Jaraguá. Lá, uma estátua de Mercúrio lembra o semideus que representa os comerciários.

Do alto do segundo andar, pode-se avistar o cais do porto da Companhia Docas do Rio Grande do Norte. Um pouco da história do estado e alguns de seus mais ilustres representantes. A economia alagoana, desde a sua criação e até hoje, tem em sua principal base na produção e transformação da cana-de-açúcar, com a exportação, por meio do porto, tanto de açúcar quanto de álcool.

Foi também no Estado de Alagoas, mais precisamente entre a Barra de São Miguel e Coruripe, municípios ao sul de Maceió, que aconteceu o naufrágio do navio que levava de volta a Portugal o bispo Pero Vaz de Sardinha. À época, os índios caetés teriam aproveitado os sobreviventes para ?variar o cardápio?.

Casarios no histórico bairro
do Jaraguá remetem à
época da colonização do
atual Estado de Alagoas.

No Palácio do Comércio, o guia da visita, Róbson Gomes, estudante de história da Universidade Federal de Alagoas, vai argumentar que o primeiro contato dos portugueses, à época do descobrimento, foi justamente na altura de Alagoas. Mais precisamente em Jequiá da Praia, no litoral sul do estado.

Os encantos

Ao olhar toda a exuberância do litoral alagoano, o turista entende facilmente por que os europeus se encantaram com aquele pedaço do Nordeste. É o mesmo que hoje atrai milhares de turistas a Alagoas: um conjunto de mares ora esverdeados, ora azulados, que formam a bela Costa Dourada do Nordeste brasileiro.

Na bela capital, as melhores opções ficam no norte: as praias de Pajuçara, Ponta Verde e Sete Coqueiros. Como se não bastasse, o turista pode agendar ainda um passeio de jangada por R$ 13, para conhecer outro grande atrativo da capital alagoana: as piscinas naturais, com direito a mergulhar junto aos peixes. Com máscara e snorkel (equipamento para mergulho na superfície),abre-se um mundo subaquático e de corais que se situam a cerca de dois quilômetros da praia. Mas esse é um passeio para ser realizado no início da manhã, que em Alagoas começa bem cedo – o sol nasce por volta das 5h15. Para escolher a hospedagem em Alagoas, o visitante pode acessar o site da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis de Alagoas – ABIH-AL, que é o www.hoteisdealagoas.com.br.

Em Maragogi, as maravilhas do fundo do mar

As galés são piscinas
naturais próprias para
mergulho, seja para mergulhadores
experientes ou iniciantes.

O roteiro da viagem continua e a reportagem de O Estado chega à aconchegante cidade de Maragogi, no litoral norte de Alagoas, já próximo da divisa entre Alagoas e Pernambuco. Logo de cara uma surpresa: o casal gaúcho Vergínia e Mauro Stodolni abriram a Pousada Mariluz, situada na avenida principal da sede do município, para nos receber. Eles chegaram à cidade para um passeio em setembro de 2003 e, em dezembro, já estavam de volta para assumir o comando da pousada, que pertence a Terezinha, tia de Mauro que, por problemas de saúde na família, precisava de alguém que administrasse o local.

A Mariluz é uma pousada de tamanho médio, mas muito bem estruturada. Além de um saboroso café da manhã, oferece aos hóspedes passeios de catamarãs até os arrecifes, partindo de sua base no Restaurante Marazul, que também funciona como receptivo para os passeios às galés (piscinas naturais com formações de recifes de corais), para mergulho num dos locais mais belos do mundo para a prática.

Na bela Praia do Gunga,
o banho é de água salgada
ou doce: ?freguês? é quem escolhe.

Depois de quarenta minutos em catamarãs que podem levar até oitenta pessoas, chega-se a uma pequena piscina natural onde a profundidade varia de 0,30 metro a 1,80 metro, rodeada por corais que integram a APA Costa dos Corais – uma área de 413.563 hectares, se estendendo dos municípios de Paripueira, ainda em Alagoas, até Tamandaré, já do outro lado da divisa com Pernambuco, num percurso de 135 quilômetros com distância média do litoral de aproximadamente seis quilômetros.

Nesse paraíso em plena Costa Dourada, são duas horas mergulhando de máscara e snorkel, com a possibilidade de ver belezas como os arrecifes e diversas espécies de peixes e mariscos, ouriços e outras maravilhas do mundo subaquático.

Uma opção é oferecida por Felipe Cavalcanti e sua pequena empresa de operação de mergulho. Com equipamento profissional (cilindro de oxigênio e pés-de-pato), os operadores instruem as pessoas que querem se iniciar na atividade, levando-as às cavernas dos arrecifes, onde fotógrafos subaquáticos registram o momento de uma manhã que pode ser maravilhosa.

Vento na rosto

Outra opção de passeio, que é ofertada em toda a região de Maragogi, mas que a reportagem de O Estado vivenciou ao lado de Roberto Simplício, é o passeio de buggy. À beira-mar, corre-se em um buggy com capacidade para quatro pessoas, conhecendo-se as sete praias que ficam ao norte da sede do município.

Além dos buggy, outras opções são os passeios pelos rios Maragogi e Manguaba, explorar em caiaques os preservados manguezais da região, praticar o que eles convencionaram chamar de ecobike (passeio de bicicleta em pontos de praia e pelo interior da região), além de fazer caminhadas por trilhas de Mata Atlântica completamente preservadas, e numa dessas trilhas, conhecer um visgueiro (árvore típica da região) com mais de cem anos.

Para conhecer as opções de pousadas e hotéis, a região se uniu em uma associação: a Ahmaja (Associação dos Hotéis e Pousadas de Maragogi e Japaratinga), que construiu três sites para informar sobre as opções da região. Ao acessar os endereços www.maragogi.com, www.japaratinga.com e www.saomigueldosmilagres.com, os interessados podem escolher as opções de hospedagem segundo as prioridades das viagens e os valores a serem gastos. Opções não faltam e vão desde o Salinas do Maragogi Resort, o mais completo (e mais caro) da região e eleito um dos dez melhores resorts do Brasil pela revista Viagem & Turismo de 2004, até pousadas com preços acessíveis e que não oneram tanto o passeio.

Destaque para o Marrecas Hotel Fazenda, que oferta turismo rural, onde se pode realizar eventos (salão para sessenta pessoas) e conta com boa estrutura (são 66 leitos) e passeios a cavalo, pesque-e-solte, ordenha no curral, visita a uma autêntica Casa de Farinha (moenda desativada), lago com pedalinho e outras opções que devem ser implementadas para o verão de 2007.

Também na região, existe um outro empreendimento que oferece serviços semelhantes, mas é muito mais aconchegante e intimista. Trata-se da Pousada Paraíso dos Coqueirais, instalada em Japaratinga, vizinha a Maragogi (fica perto da divisa entre os dois municípios, a 120 quilômetros de Maceió e a 140 quilômetros do Recife), e conta com ótima infra-estrutura e um diferencial, que é o ?pesque-e-coma?. Ou seja, os peixes retirados do lago podem ser consumidos pelos visitantes. Um viveiro de pássaros, papagaios, jabotis e até jacarés são atrativos extras nos Coqueirais, que conta com infra-estrutura de primeira e espaço para muitos passeios, além de sua proximidade ainda maior com o mar.

Rendeiras do Pontal tecem cor e arte

A comunidade de pescadores do Pontal da Barra, na área sul de Maceió, deixou de depender apenas das marés para sobreviver. Há cerca de 15 anos as esposas dos pescadores se uniram para fundar a Associação dos Artesãos de Pontal da Barra. ?Naquela época, a rua principal do Pontal era de chão batido?, relembra Lucineide Gomes Barbosa, que comanda a entidade que congrega 317 associados (cerca de 30% são homens), que produzem artesanato de ótima qualidade em termos de roupas de cama, mesa e banho, além de muitas peças de vestuário, utilizando a técnica conhecida como filé, ?uma renda traçada numa tela que te possibilita uma infinidade de pontos e brincar com a criatividade das rendeiras e de origem francesa?, conta Andréa Tenório, assessora técnica da Secretaria de Estado de Turismo de Alagoas (Setur), que acompanhou a reportagem de O Estado.

Para promover as rendeiras do Pontal da Barra, Lucineide incrementou a AAPB, conquistando desde benfeitorias para a região, como por exemplo, o asfaltamento da rua principal do bairro, até negociações coletivas para a venda de um grande volume de material para um cliente do Rio de Janeiro. Paralelamente, as rendeiras, por meio da entidade, estão trabalhando junto ao Sebrae para a montagem de um catálogo dos principais produtos tecidos na região para ofertar em feiras nacionais e até internacionais.

Além do filé, uma infinidade de técnicas – olho de pombo, aranhão, bom gosto, jasmim, cizido, matame entre outras -, são desenvolvidas nos produtos expostos ao longo de cerca de quinhentos metros, na porta das casas. Muitas mantêm a parte da frente uma lojinha e nos fundos residem com as famílias.

Mas não apenas compras integram as atrações do Pontal. Neste ponto, estão estacionadas algumas embarcações que realizam um passeio especial. É denominado Passeio das Nove Ilhas, na qual os turistas são levados a conhecer as ilhas situadas na Lagoa Mundaú, outra que banha o sul da capital alagoana. (MR)

À mesa, delícias do mar ganham requinte

O camarão-de-cueca é
uma das delícias típicas
de Alagoas servidas à mesa.

Se a escolha de seu destino no Nordeste for Alagoas, uma tarefa que não pode ser esquecida no seu momento de lazer é conhecer e saborear a cozinha regional. Nesse sentido, as opções em Maceió são as barracas à beira da praia, onde são servidos desde frutos do mar, peixes da região e outras iguarias da cozinha nordestina, com preços variando entre R$ 22 e R$ 60.

Mas se você é fascinado pelos pratos típicos do Nordeste, não pode deixar de conhecer o ?caminho da roça? e dar uma passadinha na Bodega do Sertão (Avenida Jatiúca, 62 – telefone 82 – 3327-4446), no bairro da Jatiúca, onde existe um buffet especializado e Naldo, o proprietário, recebe muito bem seus visitantes. ?No sábado e no domingo, servimos um café da manhã especial, com direito a forró a partir das 6h?, revela o proprietário.

Em Maragogi o turista tem na Galeria Artes Mar uma ótima opção no restaurante da Dona Carminha, que serve uma macaxeira (mandioca) com carne de sol que vale pelo sabor. Outra opção imperdível é o Restaurante Mama Pereira, à beira da praia principal de Japaratinga, que serve pratos deliciosos com frutos do mar como a peixada, arroz de polvo, camarão em pratos variados além de lagosta, com preços muito acessíveis.

Intercâmbio

Em encontro realizado no último dia 22 de agosto, entre Adilson Baptista de Araújo, diretor da Secretaria de Turismo de Alagoas, e o secretário estadual do Paraná, Celso Caron, foram definidas as primeiras negociações de um intercâmbio entre os dois estados. Enquanto Alagoas vai repassar conhecimentos sobre turismo de sol e mar, o Paraná repassará suas experiências sobre o turismo rural e em áreas naturais.

O acordo prevê que as secretarias estaduais participarão apenas no início do projeto, pois quem vai tocar esse intercâmbio serão as faculdades de turismo dos dois estados, com as ações sendo encampadas por coordenadores de cursos do Paraná e Alagoas. (MR)

No Gunga, o encontro das águas

O visitante que chegar a Maceió para passar alguns dias, precisa reservar pelo menos uma tarde ou uma manhã para conhecer a paradisíaca Praia do Gunga. O local é uma fazenda de coqueiros de propriedade do empresário Nivaldo Jatobá, maior fornecedor de coco para a indústria de beneficiamento do produto.

Percebendo que a beleza do local iria inviabilizar manter o ponto fechado, Jatobá abriu o espaço para a visitação pública. Nesse ponto, o visitante pode escolher um banho de água salgada ou doce (depende do gosto do ?freguês?), pois o ponto marca o encontro da Lagoa do Mundaú com o Oceano Atlântico. A praia é de uma beleza rara com águas escuras da lagoa e as cristalinas do mar que banha a região.

Outra variação no passeio ao Gunga é chegar ao porto da Barra de São Miguel e tomar um saveiro, uma escuna ou catamarã, e atravessar pelas águas doces da Lagoa Mundaú. No caminho (indo ou voltando), o visitante ainda pode passar pela Massagueira, uma espécie de Santa Felicidade de Maceió, onde existem restaurantes com comidas típicas e opções variadas de frutos do mar, até mesmo pela riqueza de opções de fornecimento. (MR)

O jornalista viajou a convite do Maceió Convention & Visitors Bureau, Setur, Seturma e TAM Viagens.