enkontra.com
Fechar busca

Mulher

Os fios de cabelo também passam pelo envelhecimento

  • Por Ana Carolina Bendlin

Assim como o restante do corpo, os fios de cabelo também passam por um processo de envelhecimento ao longo da vida, por mais que nem sempre isso seja tão perceptível. Em pessoas grisalhas, esse processo é mais nítido, afinal, a mudança é facilmente observada pela mudança da cor dos fios, mas existem muitos outros sinais de que o cabelo já não é mais o mesmo de quando éramos mais jovens. Segundo especialistas, a utilização de produtos químicos, alterações hormonais, má alimentação e exposição a fenômenos naturais são os principais fatores que aceleram esse processo natural, que só pode ser retardado, pois não há como impedir o envelhecimento capilar.

O dermatologista Elso Elias Vieira Junior, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia no Paraná (SBD-PR) e pesquisador da Universidade de São Paulo (USP) na área de salões de beleza, explica melhor como se dá esse fenômeno. “O cabelo, como qualquer estrutura viva do corpo humano, também sofre um processo de envelhecimento. Com o estresse cotidiano, o envelhecimento provocado pelo sol e fatores climáticos, o uso de produtos químicos e xampus inadequados e envelhecimento natural com a menor produção de alguns hormônios, ocorre um branqueamento, alterações na composição dos fios de cabelo e um desarranjo da disposição paralela da queratina, que é a principal proteína do fio de cabelo”, afirma.

O resultado disso tudo é que, além de brancos, os fios perdem o brilho e ficam mais ressecados e encurvados. “É por isso que o cabelo das pessoas mais velhas parece mais bagunçado, mais frisado. Isso acontece tanto nos homens quanto nas mulheres, mas como os fatores hormonais são mais evidentes na pós-menopausa e o sexo feminino costuma usar mais coloração e fazer mais procedimentos físicos, como chapinha e secador, no cabelo, são elas quem sofrem mais com esse processo”, completa. Mas, apesar de os efeitos do envelhecimento serem mais perceptíveis no período pós-menopausa, não existe uma idade exata para que esse processo tenha início. “Pode-se dizer que ele se acentua com o início da vida laboral, mas o envelhecimento começa a partir do momento que nascemos”, diz.

Portanto, é impossível impedir que o envelhecimento aconteça, podendo-se apenas retardar esse processo. Para isso, Vieira Junior dá algumas recomendações. “É preciso ter muito cuidado com os produtos que são usados nos cabelos. Um deles é o formol, que apesar de proibido, continua sendo usado por muita gente. E mesmo produtos que parecem ser inofensivos, como os xampus, podem apresentar riscos. Os mais adstringentes, por exemplo, tiram a oleosidade dos fios, o que acaba agredindo o couro cabeludo e a estrutura dele”, revela. A alimentação e o sono adequados também têm relação com a saúde do cabelo, segundo ele.

Mais cuidados

A farmacêutica e professora de Estética Capilar da Universidade Tuiuti do Paraná Kely Cristina dos Santos concorda e ainda acrescenta alguns outros cuidados à lista. “A saúde do cabelo está muito relacionada ao estilo de vida da pessoa, principalmente a parte interna dele, que fica no interior do couro cabeludo e que chamamos de matriz. Esta parte do cabelo é viva e recebe os nutrientes pela circulação sanguínea. Por isso, a alimentação está diretamente relacionada. Se a dieta da pessoa for pobre em vitaminas, o organismo não tem aminoácidos para formar os fios, ainda mais porque o cabelo e as unhas são considerados “supérfluos”, sendo as últimas unidades a serem nutridas no organismo”.

Em relação à parte externa do couro cabeludo, o cabelo propriamente dito, os cuidados são outros. Um deles é cortá-lo com regularidade. “Se os fios não são cortados,, eles ficam desgastados na ponta, pois estão ali há muito tempo”, comenta Kely. Além disso, é preciso ter cautela com os procedimentos químicos no cabelo. “Tinturas, alisamentos e relaxamentos sempre causam algum tipo de dano nos fios. Por isso, é importante fazer a hidratação, tentando minimizar esse efeito”, recomenda. Em relação à exposição a fenômenos naturais, o melhor é se proteger com barreiras físicas, como bonés e chapéus, e utilizar produtos que tenham filtro solar em sua fórmula.

Em relação ao branqueamento, a única solução mesmo é a coloração, que deve ser feita com profissionais confiáveis e qualificados, acompanhada da hidratação. Aliás, mesmo aquelas pessoas que não apresentam cabelos grisalhos sofrem com o envelhecimento de qualquer forma. “Existem alguns fatores, como o branqueamento, que ainda não estão completamente esclarecidos pela Medicina, mas se a pessoa não passa por esse processo, isso não quer dizer que o envelhecimento não está ocorrendo, apenas que ele está ocorrendo de uma maneira diferente”, afirma Vieira Junior. O médico ainda lembra que os cuidados com os fios, para que o processo de envelhecimento seja retardado, são importantes porque o cabelo é a proteção natural do couro cabeludo.

Siga a Tribuna do Paraná
e acompanhe mais novidades

Deixe um comentário

avatar
300

Seja o Primeiro a Comentar!


wpDiscuz

Últimas Notícias

Mais comentadas