Fenômeno no final dos anos 90, a saga Pokémon voltou com tudo em pleno 2016. A razão disso é o jogo Pokémon Go, disponível por enquanto apenas nos EUA, Austrália e Nova Zelândia. A Alemanha foi o primeiro país europeu a ter o jogo, nesta quarta-feira (13).

Trata-se de um aplicativo de realidade aumentada que está desbancando megassucessos como Tinder, Instagram e até mesmo o poderoso WhatsApp. O sucesso do jogo foi tão grande que as ações da Nintendo registraram um salto desde quando o jogo foi lançado, elevando o valor da marca em US$ 7,5 bilhões em dois dias.

O fator principal de sucesso para Pokemon Go está na realidade aumentada. Essa ferramenta utiliza o GPS do aparelho do usuário para levá-lo fisicamente a lugares para capturar os Pokemons, personagens do famoso desenho.

Para entrar no mundo dos Pokemons, porém, o usuário terá que literalmente ‘entregar sua vida digital’ para o jogo. Considerado invasivo, Pokemon GO permite acesso a contas, sites e até mesmo conversas em outros aplicativos.

Mas quem está ansioso para entrar no mundo dos Pokemons como um verdadeiro Ash Ketchum dos tempos modernos terá que esperar. A previsão era que o jogo fosse disponibilizado para download até o final deste mês, mas problemas nos servidores podem acabar atrasando o lançamento. Nos resta apenas esperar.

Bizarros

O sucesso do jogo chega com uma lista de situações bizarras geradas pelos usuários na tentativa de capturar os Pokemons. Em um dos casos uma mulher acabou achando um cadáver no rio enquanto procurava um monstrinho.

Outra situação estranha aconteceu quando o usuário conseguiu capturar um Pokemon enquanto sua esposa dava à luz. Velórios, abordagens policiais e até clubes de strip-tease viraram palcos para caçada aos bichinhos.

Chamariz

Uma cafeteria em Atlanta, nos Estados Unidos, aproveitou o fenômeno do jogo para lucrar também. A empresa comprou item do jogo para atrair clientes. O módulo atrai Pokemons, o que atrai consequentemente ‘clientes’.