enkontra.com
Fechar busca

Curitiba e Região

H1N1

Campanha de vacinação contra a gripe termina em uma semana

  • Por Redação
Até esta sexta (19) 66,1% dos curitibanos foram imunizados. Foto: Pedro Ribas/SMCS
Até esta sexta (19) 66,1% dos curitibanos foram imunizados. Foto: Pedro Ribas/SMCS

A campanha de vacinação contra a gripe em Curitiba, vai até o dia 26 de maio, nos 110 postos de saúde da capital. A uma semana do encerramento da campanha nacional de vacinação, a Secretaria Municipal da Saúde informa que imunizou 66,1% da população curitibana indicada para receber a vacina. Foram vacinadas 316.674 pessoas. Se considerada a meta do Ministério da Saúde de vacinar 90% do público alvo, o índice em Curitiba sobe para 73,4%.

Os números, divulgados nesta sexta-feira (19), mostram que os idosos foram o público que mais procurou os postos de saúde para se imunizar contra a doença. Foram 169.696 doses aplicadas, o que corresponde a 84,5% da população idosa de 200.899.

Proporcionalmente, foram as puérperas (mães com até 45 dias após o parto), que mais se vacinaram. Esse grupo atingiu 127% da população estimada, com 3.885 doses.

Também tomaram a vacina 47.574 crianças (46,8%) e 9.155 gestantes (49,2%). Profissionais da saúde foram 18.908, dos 53.072 (35%), e professores 18.422. Para os pacientes com doenças crônicas, conforme instrução do Ministério da Saúde, foram 47.435 doses aplicadas.

A vacina desta campanha é trivalente, com componentes dos vírus H1N1, H3N2 e B. As doses estarão disponíveis nos postos de saúde para pessoas mais suscetíveis a desenvolver complicações devido ao vírus.

A vacina está disponível para os seguintes grupos:

Crianças de 6 meses a menores de 5 anos de idade (4 anos 11 meses e 29 dias);
Gestantes;
Puérperas (até 45 dias após o parto);
Adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medida socioeducativas;
População privada de liberdade e os funcionários do sistema prisional;
Trabalhadores da saúde;
Povos indígenas;
Idosos com 60 anos ou mais;
Pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais;
Professores das escolas públicas e privadas.

Cuidados

A gripe é uma doença contagiosa causada pelo vírus influenza. Geralmente provoca febre alta, mal-estar, dores musculares, dor de garganta e tosse, e pode evoluir para doenças mais graves, como a pneumonia.

Já o resfriado é causado por outros tipos de vírus e os sintomas são mais leves, como irritação na garganta, coriza (nariz escorrendo) e febre baixa.

A vacina disponível nas unidades de saúde só protege contra a gripe e não contra o resfriado ou outras doenças infecciosas respiratórias. Ao surgirem sintomas como febre superior a 38°C, com tosse e dor de garganta, é preciso procurar serviço de saúde para diagnóstico e tratamento adequados.

Porém, mesmo estando em um dos grupos, o Ministério da Saúde orienta as pessoas que tomaram vacina da dengue a esperar 30 dias para se imunizar contra a gripe. A vacina é contraindicada para pessoas com histórico de reação anafilática prévia ou alergia a ovo de galinha e derivados, assim como a qualquer componente da vacina. Reações anafiláticas em doses anteriores também contraindicam as doses subsequentes.

Em doenças febris agudas, moderadas ou graves, recomenda-se adiar a vacinação até a resolução do quadro com o intuito de não se atribuir à vacina manifestações da doença.

Pneumonia

A vacina da gripe não tem relação com a da pneumonia. O Ministério da Saúde libera aos Estados dois tipos de vacina Pn23, para adultos, e Pn10, para crianças. Os adultos só podem se vacinar contra a pneumonia com prescrição médica, desde que apresentem quadros de imunossupressão ou outra doença crônica, conforme o Manual dos Centros de Referência para Imunobiológicos Especiais, editado pelo Ministério. Portanto, a imunização contra pneumonia não é feita indiscriminadamente, junto com a da gripe.

Para prevenir a gripe:

Mantenha ambientes ventilados.
Evite locais com aglomeração de pessoas, se estiver doente.
Evite contato direto com pessoas doentes.
Não compartilhe alimentos, copos, toalhas e objetos de uso pessoal.
Lave as mãos frequentemente com sabão e água, depois de tossir ou espirrar, após ir ao banheiro, antes das refeições, ao chegar em casa e no trabalho.
Ao tossir ou espirrar, cubra o nariz e a boca com lenço, preferencialmente descartável.

Siga a Tribuna do Paraná
e acompanhe mais novidades

Deixe um comentário

avatar
300

Seja o Primeiro a Comentar!


wpDiscuz

Últimas Notícias

Mais comentadas