A paralisação espontânea de bares e restaurantes durante o período de crise do novo coronavírus ganha o reforço de um restaurante que é um ícone para todo o Paraná. Pela primeira vez em seus 57 anos, o restaurante Madalosso (Novo Madalosso) fecha suas portas como medida de segurança a partir de domingo (22).

VEJA MAIS – Lavar as mãos é mais eficiente que álcool gel para prevenir coronavírus e outras doenças

Todos os restaurantes comandados pela família Madalosso seguirão a mesma decisão. No total, o grupo conta com 13 restaurantes e emprega mais de 800 funcionários diretamente. Os restaurantes Anello, Curitiba Comedy Club, Dom Antonio, Dona Helena, Famiglia Fadanelli, Forneria Copacabana, Fundição 52, Madá Pizza e Vinho, Mezza Notte, PaniCiello, as três unidades do restaurante Spring e o Novo Madalosso e o Velho Madalosso funcionam até domingo com equipe reduzida e redobrando cuidados em higiene e limpeza.

A princípio, o fechamento temporário é por 15 dias. “Queremos acreditar que serão 15 dias, mas talvez se estenda por um mês. Fizemos uma análise de impacto financeiro, para zerar faturamento e pensando em nossos fornecedores e colaboradores”, disse Marcius Madalosso, à frente do Velho Madalosso e restaurante Anello, ambos em Santa Felicidade.

“Medidas brandas não funcionam, pois dois terços das pessoas infectadas não apresentam sintomas”, diz Giovana Madalosso em áudio divulgado pelas redes sociais. Giovana é irmã de Lorenzo, ambos filhos de Carlos Madalosso, à frente do Novo Madalosso “Claro que isso acarretará prejuízos, mas acreditamos que a saúde vem em primeiro lugar”, completa.

O Madalosso é conhecido por ser um dos maiores da América Latina, tendo entrado no Guinness Book em 1995 por seus 4.645 lugares no salão do restaurante em Santa Felicidade.

Outros fechamentos temporários espontâneos

O governador do Paraná Carlos Massa Ratinho Junior fez um novo pronunciamento nesta quarta (18), mas não mencionou novas medidas para bares e restaurantes. Na segunda-feira (16), o governador havia proibido eventos com mais de 50 pessoas, mas a determinação não valia para bares e restaurantes.

LEIA MAIS – Como falar do coronavírus com crianças sem alarmá-las: 9 dicas pros pais

Representante de bares e restaurantes entregaram nesta quarta aos governos municipal, estadual e federal uma petição com uma série de reivindicações do setor para evitar falências e demissões neste momento de agravamento da pandemia do novo coronavírus.

Sob a batuta da Abrasel, muitos restaurantes adaptaram seu serviço para evitar contágio, disponibilizando álcool gel para os clientes, redobrando medidas de higiene e limpeza e afastando mesas no salão. Porém, como os casos seguem crescendo no país, donos de bares e restaurantes de Curitiba decidiram fechar temporariamente por conta própria, como medida preventiva.

Fechados, mas com delivery

Com a operação de salão sendo inviabilizada pela área – caso de bistrôs e pequenos restaurantes – ou pelo tipo de serviço, como o buffet, restaurantes adaptaram seu fluxo de trabalho para atender por delivery.

O bistrô, Sel et Sucre, da chef premiada Kika Marder, é um deles, bem como o restaurante Nomade, de Lênin Palhano, eleito o melhor de Curitiba. O buffet Bistrô da Bibi fecha seu salão na sexta (29) e o K.sa, de Claudia Kraspenhauer, fecha as portas temporariamente a partir de sábado (21).