Uma doença rara que afeta crianças e adolescentes e que pode estar associada ao novo coronavírus, tem preocupado médicos pediatras e autoridades de saúde do Paraná. Segundo a Secretaria de Estado de Saúde (Sesa), os casos de Síndrome Inflamatória Multissistêmica Pediátrica (SIM-P) têm sido monitorados no estado, que já registrou as mortes de três adolescentes menores de 16 anos e o total de 10 pacientes infectados, de acordo com dados divulgados na última terça-feira (22).

LEIA MAIS – Enquanto a vacina contra o coronavírus não chega, vacine seu filho contra pólio e outras doenças

Os sintomas da SIM-P, que costumam aparecer até quatro semanas após a exposição ao coronavírus em pacientes que têm entre zero a 19 anos, são febre persistente, conjuntivite, edema em extremidades, manchas no corpo, dor abdominal, manifestações gastrointestinais como vômito e diarreia, e elevados marcadores inflamatórios, sendo que os sintomas respiratórios nem sempre estão presentes.

LEIA TAMBÉM – Hospital filantrópico de Curitiba será ampliado com verba do estado em espaço do Ibama

No Brasil, até o dia 22 de agosto, registros do Ministério da Saúde informam a notificação dos casos de 197 crianças e adolescentes de zero a 19 anos. Destes, 14 morreram em função da SIM-P temporalmente associada à covid-19. Já no Paraná, até o dia 22 de setembro foram notificados 10 casos, de acordo com levantamento da Sesa: seis dos pacientes eram do sexo masculino e quatro do feminino, com idade entre três a 16 anos. Quatro já tiveram alta hospitalar, três foram a óbito e três permanecem em investigação. Os casos ocorreram Curitiba (7), Fazenda Rio Grande (1), Realeza (1) e Medianeira (1).

Alerta do Ministério da Saúde

Para identificar, de fato, se a síndrome pode estar relacionada à covid-19, o Ministério da Saúde, em parceria com a Organização Mundial da Saúde (OMS) e a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), emitiu em maio um alerta orientando sobre o manejo clínico e a importância da identificação precoce dos casos de SIM-P no Brasil.

VIU ESSA? Paraná tem apenas uma agência do INSS apta para atendimento, segundo médicos

Em julho, o ministério publicou a nota técnica nº 16/2020-CGPNI/DEIDT/SVS/MS, que orienta sobre como a notificação deve ser realizada pelos serviços de saúde ao identificar crianças ou adolescentes que preencham a definição de caso através dos sinais e sintomas mais comuns.

“Trata-se de uma medida de vigilância em saúde. É muito importante que os serviços de saúde notifiquem no sistema sobre os possíveis casos desta doença, prestando atenção nos sintomas, principalmente se a criança ou o adolescente tiveram a confirmação laboratorial de coronavírus, pois isso pode remeter à hipótese de associação entre a SIM-P e a covid-19”, disse o secretário da Saúde, Beto Preto.