Ocorreram mais estupros que homicídios no Brasil, no ano passado, de acordo com a 7.ª edição do Anuário Brasileiro de Segurança Pública. O levantamento é produzido pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública, com base em informações do IBGE e do Sistema Nacional de Estatísticas em Segurança Pública (Sinesp), gerido pela Secretaria Nacional de Segurança Pública, ligada ao Ministério da Justiça.

O anuário mostra que ocorreram 50.617 casos de estupro (26,1 por 100 mil habitantes) e 47.136 homicídios dolosos (com intenção de matar). Houve aumento de 18,17% nos crimes sexuais, em relação a 2011, quando foram cometidos 22,1 crimes por grupo de 100 mil habitantes.

Os estados com maior índice de estupros foram Roraima (52,2), Rondônia (49), Santa Catarina (45,8), Rio Grande do Sul (43,5), Mato Grosso do Sul (40,6) e do Mato Grosso (38,6). Os estados que registraram menores taxas de estupro por 100 mil habitantes em 2012 foram Paraíba (8,8) , Rio Grande do Norte (9,9) e Minas Gerais (10,1).

Homicídios

A taxa de homicídios cresceu 7,6% no ano passado, na comparação com 2011. Foram 24,3 crimes para cada 100 mil habitantes. Em Alagoas, foram 58,2 homicídios por 100 mil habitantes. Apesar disto, na comparação com 2011, o estado apresentou queda de 21,9% neste índice. Os estados com as menores taxas de morte por grupo de 100 mil habitantes foram: Amapá (9,9), Santa Catarina (11,3), São Paulo (11,5), Roraima (13,2), Mato Grosso do Sul (14,9), Piauí (15,2) e Rio Grande do Sul (18,4).

Apoio

Vítimas de estupro em Curitiba e região terão mais apoio na hora de denunciar criminosos. O Ministério Público (MP) inaugura amanhã o Núcleo de Apoio a Vítimas de Estupro (Naves), na Rua Tibagi, 779, 8º andar, Centro. Segundo a procuradora de Justiça Rosangela Gaspari, que coordenará o núcleo, o objetivo é prestar orientação jurídica e apoio psicológico, para dar continuidade às denúncias, de modo que os autores dos crimes possam ser identificados e responsabilizados.

Enquanto o Disque 180 recebeu apenas 646 denúncias de estupros no primeiro semestre, o Sistema Único de Saúde (SUS) registrou o atendimento de 18.007 mulheres vítimas deste crime, em hospitais e clínicas.