Um ataque de ciúmes provocado pela suspeita de que estava sendo traído, fez com que o pedreiro José Geraldo Vieira dos Santos, 59 anos, matasse a mulher e depois se suicidasse, usando uma faca de cozinha. O homicídio seguido de suicídio aconteceu às 14h20 de ontem, na Rua Henrique Correia, 1866, Bairro Alto.

Parentes das vítimas residiam no mesmo endereço, onde existe um conjunto de casas. A moradia do casal era a última do terreno e os familiares chegaram a ouvir a discussão dos dois, porém não imaginavam que José Geraldo, tido como uma pessoa tranquila, chegasse a tal ponto.

Maria de Lurdes dos Santos, 46, estava na cozinha quando José Geraldo chegou e iniciou a briga, acusando-a de ter um caso com outro homem. Os ânimos foram ficando acirrados, até que o pedreiro apanhou a faca e atingiu Maria com um profundo golpe na barriga.

A mulher caiu ali mesmo, sem chance de defesa e morreu em seguida. Transtornado, ele passou a se ferir com a mesma arma, desferindo um golpe no peito, outro na barriga e um terceiro na perna. A faca ficou caída ao lado de seu corpo.

Mortos

Quando o casal silenciou repentinamente, os parentes resolveram ver o que estava acontecendo, mas já era tarde demais. Encontraram Maria morta em meio a uma poça de sangue, e José Geraldo, ainda com vida, também ensanguentado. Eles chamaram o Siate e apesar dos esforços dos socorristas em mantê-lo vivo, José morreu dentro da ambulância.

Um rapaz que trabalha com José esteve no local e contou que o pedreiro já tinha confidenciado que estava desconfiado que Maria o traia. O casal já havia discutido algumas vezes por conta disso. “Apesar de tudo, não consigo acreditar que ele tenha cometido um crime assim. Era um homem bom, calmo, trabalhador”, comentou o amigo. O casal tinha três filhos, a mais nova com apenas 12 anos. O caso foi atendido no local pelo tenente Rodrigo Brito, do 20.º Batalhão da Polícia Militar.