Cristiano Camargo Theodoro, 22 anos, foi preso nesta quinta-feira (11), na Vila Torres, em São José dos Pinhais, pelos crimes de roubo, posse de arma de fogo, tentativa de homicídio e adulteração de sinal identificador de veículo. Uma motocicleta e uma arma foram apreendidas.

De acordo com informações da polícia, Theodoro foi preso depois que fugiu de uma abordagem dos policiais da Delegacia de Furtos e Roubos (DRF). Para sair do local, o suspeito entrou em uma avenida na contramão e acabou atropelando um casal que estava em uma motocicleta.

Após o crime, Theodoro abandonou seu carro, um Gol, e fugiu. Ao realizar o atendimento às vítimas, os policiais iniciaram as diligências para a identificação e prisão do suspeito.

Durante as investigações, os policiais descobriram que o proprietário do veículo já era investigado pela polícia, e também era suspeito na participação de um roubo a uma loja de roupas, que aconteceu em maio deste ano.

O crime ocorreu no Sítio Cercado, no qual três pessoas entraram no estabelecimento e deram voz de assalto. Na época do fato, um dos suspeitos foi baleado por um policial militar e outro acabou sendo preso.

Theodoro foi preso na casa de sua ex-mulher. Com ele foram apreendidos uma pistola calibre 380 municiada e uma motocicleta Hornet roubada e com a placa adulterada. O suspeito foi preso e permanece à disposição da Justiça.

Outro caso

Em outra ação distinta, também na quinta-feira (11), policiais da DFR prenderam Jeferson Takeda Pires, 22 anos, acusado de ser um dos autores de um roubo a uma loja de roupas, no Juvevê, ocorrido no dia 18 de maio, quando três bandidos invadiram o estabelecimento, após render um dos funcionários e roubaram, praticamente, a loja toda.

De acordo com o delegado Rodrigo Souza, responsável pelo caso, dos três envolvidos, dois foram qualificados, sendo que um deles, “Wictor da Silva”, morreu em uma troca de tiros no início da semana.

Jeferson foi reconhecido pelas testemunhas, após análise das câmeras do sistema de monitoramento. As investigações prosseguem no sentido de qualificar o outro envolvido no crime, como também os receptadores dos produtos roubados.