Os dois suspeitos de matar a diarista Tereza Vidal de Lara Franco, 49 anos, no dia 1.° de maio, em Itaperuçu, na Região Metropolitana de Curitiba (RMC), estão detidos. Leonardo Gustavo Pereira dos Santos, 22 anos, foi preso no fim da manhã desta terça-feira (21) pela Polícia Civil, que cumpriu um mandado de prisão em Curitiba, no Jardim Gabineto, após várias diligências para tentar localizá-lo. O outro suspeito, um adolescente de 15 anos, está apreendido desde o dia 16, em Rio Branco do Sul, na RMC.

+ Fique esperto! Perdeu as últimas notícias sobre segurança, esportes, celebridades e o resumo das novelas? Clique agora e se atualize com a Tribuna do Paraná!

Segundo a polícia, Leonardo Pereria mudava de endereço diariamente, o que dificultava a prisão. O crime é tratado como latrocínio, roubo seguido de morte. Ainda de acordo com a polícia, a vítima era diarista, tinha marido e filhos, e estava sozinha em casa, quando os dois assaltantes, Leonardo e o adolescente, entraram na residência dela.

+ Leia mais: Acusado de erro e abuso sexual, médico de Curitiba perde o registro

A investigação aponta que, dentro da casa, os suspeitos partiram para cima da Tereza de Lara, golpeando-a dezenas de vezes com uma faca para cometer o latrocínio. O exame do local do crime, feito pela Polícia Científica, revelou que houve luta corporal entre os autores e a vítima. O que se sabe, é que apenas o celular dela foi roubado. Os dois suspeitos seguem detidos e à disposição da Justiça.

O crime

No fim da tarde do Dia do Trabalhador, socorristas do Serviço Integrado de Atendimento ao Trauma em Emergência (Siate) foram chamados para atender uma ocorrência na Rua Leomar Pedroso de Moraes, no bairro São Domingos, em Itaperuçu. Ao chegarem ao local, a diarista Tereza de Lara já se encontrava em óbito, com várias facadas pelo corpo – na perna direita, mão esquerda e ombro.

+ Leia também: GM acha dois baleados em ‘ponto de desova’ no zoológico de Curitiba

A polícia foi acionada e prontamente iniciou a investigação. A família da diarista já tratava o caso como roubo à residência, porque ela tentou se defender dos autores das facadas. Mais tarde, a hipótese acabou se confirmando.

+ Leia mais: Faculdade fecha em Curitiba e ‘bomba’ fica pra ex-alunos

No dia do crime, o marido de Tereza de Lara foi o primeiro a encontrar o corpo e no desespero colocou as mãos na esposa. Com as mãos cheias de sangue entrou em contato com as autoridades. Depois, prestou depoimento na delegacia de Rio Branco do Sul e foi liberado.

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do trio de ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!

‘Sequestrado’ por dívida em boate, homem pede socorro pra esposa e é salvo pela polícia