“É um caso que emociona e prometi ao avô que faríamos Justiça. Mostraria esta camiseta quando prendesse os responsáveis por matar o neto dele, o Guilherme”, assim relatou Tito Lívio Barrichello, delegado da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) ao mostrar, na manhã desta sexta-feira (11), que suspeitos pelo homicídio estão presos. Guilherme Rafael de Oliveira Campos e Izael Pontes Corrêa Neto, ambos com 19 anos, estão detidos, como também um adolescente.

+Leia também: Após roubar, ameaçar e extorquir traficante, policias são presos em Curitiba e região

A briga

O caso ocorreu no último dia 18 de agosto no bairro Boqueirão, quando Guilherme Guimarães Nascimento, de 16 anos, foi espancado por uma turma. “Diante de uma emboscada, seis pessoas pararam a vítima e os amigos. Bateram tanto no Guilherme Nascimento que ele ficou irreconhecível de tantas lesões no rosto. Foi levado ao hospital, mas dias depois não resistiu”, ressaltou Barrichello.

+Leia também: “Devia ter ouvido minha mãe”, diz cliente de loja assaltada no São Braz

Além dos dois presos, mais um adolescente estaria envolvido no crime. Foto: Hedeson Alves/Tribuna do Paraná
Além dos dois presos, mais um adolescente estaria envolvido no crime. Foto: Hedeson Alves/Tribuna do Paraná

Promessa ao avô

Com a investigação, ficou concreto que a vítima era um adolescente de bom coração e não tinha motivos para brigar com ninguém. O avô Francisco pediu Justiça e entregou a camisa com a imagens do neto e nos fez prometer que iríamos desvendar o crime . “O avô sabia que o neto jamais iria voltar e chorando aqui, nos abraçou na delegacia. Isto é um retorno ao senhor e para todos da sociedade. A Justiça foi feita”, concluiu o delegado. Um adolescente segue foragido e a Polícia acredita que mais dois adultos tenham participado deste caso.

PF descobre malandragem de contrabandistas que atuavam no Paraná