A última edição da revista IstoÉ pontua o Governo do Paraná com 83,3% de aprovação popular entre os conceitos excelente, bom e regular positivo. O levantamento do Instituto Databrain qualifica, com os mesmos conceitos, o desempenho pessoal do governador Roberto Requião com 80,4%. A revista semanal de circulação nacional, 300 mil exemplares, destaca ainda em matéria de quatro páginas os avanços do Paraná nos últimos três anos. ?Perestroika Paranaense ? Governo Requião tira o Estado da inércia. Administração é marcada pelo forte apelo social e pela luta na defesa dos interesses da população?.

?A pesquisa dá uma aprovação de 83% para o meu governo. Sendo que 50,5 desse porcentual se situa entre excelente e bom. A pesquisa está correta. Na minha ótica, o ponto mais forte da administração é que o governo age de forma aberta e franca a favor dos interesses populares. Nós não deixamos passar nada. Não tem composição. O interesse do governo é o interesse da sociedade?, disse Requião à revista.

O Instituto Databrain entrevistou 1.112 pessoas entre os dias 2 e 3 de dezembro e pontua ainda, com notas médias, os setores com melhor desempenho no governo. A educação e o agronegócio aparecem na frente com 7,2 pontos, seguidos de industrialização (7,0), turismo (6,9), ação social (6,8), construção e conservação de estradas (6,2), habitação (6,2), cultura (6,1), empregos e saúde (6,0) e segurança (5,8).

Para 65,9% dos entrevistados, Requião age corretamente no emprego do dinheiro público e para 83%, o governador tem cumprindo totalmente e em partes as promessas de campanha. ?Já poderia me aposentar. Mas preciso completar a nossa perestroika, ou seja, a reconstrução do Paraná?, disse Requião.

A revista ainda aponta as frentes de lutas do governo Requião desde o início do seu governo em 2003. Citou a proibição da produção e comercialização da soja transgênica, a recuperação de mais de cinco mil quilômetros de estradas e a ênfase nos programas sociais que atendem 600 mil famílias em programas como Luz Fraterna e a tarifa reduzida de água.

?A mais nova frente de batalha é contra o ministro da Agricultura, Roberto Rodrigues. Inconformado com a disposição do ministro de sacrificar o rebanho do Estado por uma suposta ameaça de febre aftosa, Requião está disposto a ir às últimas instâncias para proteger os interesses dos pecuaristas do Estado?, diz a revista.

?Contestamos e contestaremos todas as patifarias contra o Paraná?, afirmou Requião a IstoÉ. Novos laudos do Lanagro, laboratório credenciado pelo governo federal, apontaram resultados negativos em exames de 48 amostras.

Na entrevista para IstoÉ, Requião destaca as ações do governo que tiraram o Paraná do limbo econômico e social. ?O Paraná é um Estado que tem o fundo de aval. Com ele nós damos garantia aos empréstimos feitos aos pequenos agricultores. Distribuímos leite para as crianças pobres e compramos esse leite na própria região onde as crianças estão. Estamos descentralizando a saúde, com a construção de 13 hospitais. Não cobramos impostos de microempresas. A isenção chega a 99%. Estamos construindo 11 penitenciárias. São políticas consistentes, progressivas. É um governo eficiente, mas sem nenhuma pirotecnia?, disse Requião.