A quantidade de multas emitidas em Curitiba aumentou 27% em 2007, com relação ao ano anterior. Em 2006, a Diretoria de Trânsito (Diretran) registrou de janeiro a novembro 396.753 infrações, enquanto no ano passado foram 506.895. A maior parte dos delitos se refere ao excesso de velocidade, porém esta não foi a infração que mais registrou acréscimo de um ano para outro (apenas 2,1%). Entretanto, infrações como dirigir falando ao celular e a falta do uso de cinto de segurança dobraram de 2006 para 2007.

A microempresária Rosalba Maria Dalmaz recebeu uma multa no dia 28 de dezembro de 2007, a qual ela considera injusta. Ela afirma que foi multada quando aguardava o marido dentro do veículo estacionado, juntamente com o filho de oito anos, na Rua Desembargador Westphalen, entre a Marechal Deodoro e a José Loureiro, em Curitiba. A infração escrita em sua multa é ?transportar criança em veículo sem observar normas?.

?Não entendo essa multa, pois eu estava parada. Eu não sabia que agora é proibido estacionar o veículo com uma criança dentro?, disse. Ela conta ainda que não viu nenhum agente de trânsito autuando seu veículo. ?Acho que eles poderiam nos orientar antes de multar?, reclama.

Rosalba já recorreu, mas de acordo com a Diretran, os agentes de trânsito não registram infrações de veículos parados, e que as pessoas que se sentem lesadas têm acesso aos autos para saber em que posição a criança estava no momento da multa.

O caso de Rosalba é apenas um dos milhares de recursos que a Diretran recebe todos os anos. Apesar de milhares, o total não representa um grande volume diante da quantidade de multas. De acordo com a diretora de trânsito da Diretran, Rosângela Batistella, os recursos não chegam a 1% do total de infrações emitidas. Desses, cerca de 7% são acatados pelo órgão. Com relação ao grande número de multas, Rosângela acredita que um conjunto de fatores influencie nisso, acima de tudo a falta de consciência dos motoristas. ?A frota cresceu, o Departamento Nacional de Trânsito facilitou o preenchimento dos autos de infração, além das denúncias no 156, que também cresceram?, diz ela.

Em 2006, segundo a Urbs, a frota em Curitiba era de 963.464 veículos. Em 2007, saltou para 1.029.152 carros. ?Temos outras situações. Em vários casos há o infrator contumaz, aquele que sempre repete o erro. Mas é importante destacar que há muito mais infratores do que multas na cidade?, analisa.