Donos de box na Centrais de Abastecimento do Paraná S/A (Ceasa), em Curitiba, estão tendo prejuízos por conta de produtores que atuam nas chamadas “pedras” (pátios cobertos utilizados para venda). A reclamação dos permissionários é a de que os produtores estão vendendo suas mercadorias antes do horário de abertura da Ceasa, que é às 4h30.

Segundo o proprietário de um box e presidente do Sindicato dos Permissionários da Ceasa de Curitiba (Sindaruc), Francisco Leite, parte de quem trabalha nas “pedras”, além de não respeitar o horário, vende o produto mais barato e estaria em situação irregular.

“Estamos indignados porque estamos lidando com uma concorrência desleal. Nós pagamos caro pela concessão do box, temos firma constituída, trabalhadores, entre outras coisas. Os produtores não têm nenhum encargo social e nos dão um grande prejuízo. Estamos esperando uma atitude da Ceasa, mas até o momento, nada foi feito”, reclama.

O diretor-presidente da Ceasa, Antônio Comparsi de Mello, disse estar ciente desse problema e que estão tentando resolvê-lo, contudo, admite que não é fácil tomar conta da estrutura.

“Estamos preocupados com essa situação. Vamos buscar alternativas para que ninguém seja prejudicado, todavia ela não virá da noite para o dia. Queremos encontrar uma solução o mais rápido possível para esse impasse”, diz.