Morador do bairro Santa Rita de Cássia, em Campina Grande do Sul, Elízio Pereira de Oliveira, de 62 anos, vive um drama. O ex-porteiro, aposentado por invalidez depois de ter sofrido um AVC (acidente vascular cerebral), sofre de apneia e não consegue dormir há aproximadamente nove meses.

Com frequente falta de ar, Oliveira corre o risco de dormir e morrer. A única solução seria a adaptação do aparelho CPAP. Porém, vivendo de forma humilde ao lado da esposa e de dois filhos, de 7 e 10 anos, o aposentado não tem condições de adquirir o equipamento, que custa em torno de R$ 4 mil. “Quando deito e durmo, parece que não vou voltar. Tenho medo de dormir e a única saída para mim é ficar sentado na varanda da minha casa, mesmo no frio”, diz. “Espero ter esse aparelho o quanto antes. Ainda tenho esperança.”

Dificuldades

Exame feito em abril revelou que em uma hora de sono ele consegue dormir apenas oito minutos. Os médicos constataram ainda que, sem o aparelho, pode haver sobrecarga no aparelho cardiovascular, risco elevado de hipertensão arterial e infarto do miocárdio. Por causa do AVC, Oliveira tem dificuldades para falar e se locomover. A esposa Claudenice Rodrigues, 47, fica 24 horas à disposição do aposentado, principalmente para que se mantenha acordado. Ela foi também a responsável por tentar conseguir o CPAP para o marido. “Ele era esperto. Agora, a vida dele acabou. É muito difícil ver meu marido sentado dia e noite na varanda. Tenho que cuidar dele. Se ele dormir, pode morrer”, conta. A história de Oliveira comove moradores do bairro. Uma das vizinhas, que não quis se identificar, ajuda Claudenice a cuidar do aposentado. “É deprimente ver ele sentado ali o tempo todo”, comenta.

Promessa de ajuda

Claudenice Rodrigues conseguiu a declaração médica constatando os problemas do seu marido no dia 14 de maio e, desde então, aguarda definição da Secretaria da Saúde (Sesa) para aquisição do aparelho. O pedido foi encaminhado à Secretaria Municipal de Saúde de Campina Grande do Sul e repassado à 2.ª Regional de Saúde do Estado. De acordo com a assessoria de imprensa da Sesa, o processo de compra está acontecendo e a regional vai entrar em contato com o paciente no começo da semana que vem para dar o devido encaminhamento do pedido.

Médico aponta sérios riscos

Sem poder dormir, Elízio Pereira de Oliveira já está sofrendo com a apneia. Segundo o médico neurologista Marco Antonio Teixeira da Silva, ficar tanto tempo sem dormir pode acarretar sérios problemas de saúde. A diminuição da imunidade pode causar o esgotamento físico e também aumento da ansiedade, hipertensão arterial, além de doenças psicossomáticas (gastrite, enxaqueca e fibromialgia). Para o especialista, a melhor indicação para amenizar o sofrimento do aposentado é o tratamento com o CPAP. “Este aparelho aumenta o fluxo positivo de ar durante a noite e facilita a respiração do paciente. Para o caso dele, acredito que seja a única saída”, enfatiza.