Este foi o primeiro domingo da Ciclofaixa de Lazer e os ciclistas que passaram entre o Passeio Público e a Praça Nossa Senhora de Salete, no Centro Cívico, aprovaram o circuito implantado pela Prefeitura de Curitiba para passear e curtir atividades que estavam sendo realizadas na praça.

“Estamos desde 2005 aguardando uma atitude do poder público. O prefeito Gustavo Fruet mostrou respeito aos usuários de bicicleta, conectando espaços de lazer à simbólica Avenida Cândido de Abreu”, disse Jorge Brand, coordenador do ClicoIguaçu, uma associação que congrega ciclistas de Curitiba e Região Metropolitana. Esta também é a opinião do fotógrafo Danilo Herik, que afirmou ser a Ciclofaixa um importante incentivo para aqueles que pensam em usar a bicicleta em outros dias da semana.

O Ciclolazer vai funcionar todos os domingos, das 8h às 16 horas, e substitui o projeto Ciclofaixa de Lazer, que era desenvolvido na região central de Curitiba e foi desativado em 3 de fevereiro deste ano, após a atual gestão ouvir a opinião de associações de ciclistas e demais usuários das ciclovias da cidade. Não haverá mais faixas pintadas no asfalto para delimitar o espaço. A sinalização será feita com cones e ajuda de agentes da Setran.

Para animar os ciclistas, foi realizada uma feira na Praça Nossa Senhora da Salete, com barracas da Unidade Móvel de Segurança Alimentar (Abastecimento), jogos da Secretaria Municipal de Esporte e Lazer (Smelj), exposição de bicimáquinas (com demonstração de máquina de cortar grama acoplada) e um estande da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), que aproveitou o evento para lançar a cartilha Ciclovida-Pedalando na Cidade. “A ciclofaixa é uma mudança de conceito. Tem inúmeras vantagens, mas sem dúvida a mais interessante é a ligação com o Bosque do Papa e Passeio Público, locais antes subutilizados pelos ciclistas. Agora, vamos poder fazer passeios mais longos”, disse José Carlos Bobatto, coordenador do programa Ciclo Vida da UTFPR.

 Formato do circuito

O formato do circuito ciclístico foi discutido entre a Secretaria Municipal de Esporte, Lazer e Juventude (Smelj), Setran, Ippuc, Urbs e Guarda Municipal e também com cicloativistas e professores da UFPR, que participaram de reuniões para a elaboração do projeto.

O novo projeto estimula o uso da bicicleta através de ações educativas, lúdicas e recreativas, promovendo de maneira pedagógica o uso da bicicleta. “É uma proposta que busca levar ao conhecimento do público as diferentes formas do uso da bicicleta, seja como divertimento, esporte e também como modal de transporte, com destaque à promoção da atividade física e respeito ao meio ambiente”, afirmou o diretor de lazer da Smelj, Fabiano Brusamolin.

O projeto Ciclolazer de Curitiba não ficará restrito ao Centro Cívico. De acordo com o secretário da Smelj, Aluisio Oliveira Dutra Júnior, a região será apenas o primeiro ponto de inserção de ações, que serão levadas a outros bairros de Curitiba. O Ciclolazer também vai servir para unir as ciclovias já existentes na região que interligam dois bolsões verdes e de convívio da comunidade: o Passeio Público e o Parque São Lourenço.