O Ministério das Relações Exteriores espera concluir nesta semana a operação de retirada de brasileiros do Líbano, com a remoção dos 220 remanescentes que serão transladados quarta e quinta-feira para Adana, na Turquia. O transporte para o Brasil dos 612 brasileiros ainda concentrados em Adana e em Damasco, na Síria, também poderá ser completado até o início da próxima semana, de acordo com os cálculos mais otimistas do Itamaraty.

De acordo com o embaixador Everton Vargas, chefe de gabinete da Secretaria-Geral do Itamaraty, os pedidos de retirada de brasileiros das regiões de conflito, no Líbano, estão caindo ao mesmo tempo em que torna-se cada vez mais difícil os translados dos comboios para a Turquia e Síria. As condições de segurança pioraram na última semana, assim como das estradas.

Desde o início das operações coordenadas pelo Itamaraty, no último dia 15 de julho, foram transladados ao Brasil 2.916 cidadãos que residiam no Líbano, libaneses casados ou com filhos brasileiros e estrangeiros. Desse total, 1.253 foram retirados de Adana em vôos da Força Aérea Brasileira (FAB). Esse número inclui os 78 passageiros que embarcaram ontem, com chegada prevista para esta segunda-feira (7) em São Paulo. Os 1.663 restantes deixaram Damasco em aviões da TAM e da Gol.

Amanhã, mais um vôo da FAB deixará Adana, com destino a São Paulo, trazendo 150 passageiros. Outro avião, da companhia BRA, deverá decolar amanhã de Damasco com 280 brasileiros. Com esses embarques, restarão apenas os 120 cidadãos, que deverão ser deslocados em comboios do Vale do Bekaa amanhã, e os outros 100 que deixarão a capital libanesa, Beirute, na quinta-feira. Todos seguirão em comboios para Adana, onde aguardarão os vôos da FAB. Em Damasco, excluindo os 280 que deverão embarcar no vôo da BRA, restarão apenas 112, que poderão ser retirados até o final da semana.