O presidente da Guatemala, Álvaro Colom, pediu na terça-feira (17) desculpas a Cuba, de forma “pública e oficial”, pelo governo de seu país ter permitido que exilados e mercenários treinassem em território guatemalteco para a fracassada invasão da Baía dos Porcos, em 1961. “Quero pedir hoje desculpas por nosso país ter emprestado seu território para a preparação da invasão a Cuba”, afirmou ele, em discurso na Universidade de Havana, durante sua primeira visita à ilha. A Brigada 2.506, com 1.500 homens, foi financiada pelos Estados Unidos.