O general uruguaio Miguel Dalmao foi detido e enviado à prisão hoje, acusado do delito de “homicídio agravado”. Dalmao é acusado de ter assassinado, em 1974, a militante comunista Nibia Sabalsagaray, morta na prisão em junho daquele ano. Além de Dalmao, foi detido hoje o coronel José Chialanza, que está na reserva, informou Raúl Oxandabarat, diretor de comunicações da Suprema Corte de Justiça do Uruguai.

As ordens de prisão foram assinadas em audiência pelo juiz Rolando Vomero, a pedido da procuradora Mirtha Guianza. Segundo ela, Nibia havia sido detida em 1973 e foi morta pelos dois militares um ano depois.

Dalmao, que já foi interrogado antes nesse caso, alega ser inocente. Atualmente, ele é chefe da IV divisão do Exército do Uruguai. Ele é o primeiro militar uruguaio na ativa a ser preso por delitos de violações dos direitos humanos cometidas durante a ditadura militar uruguaia (1973-1985). Na época do assassinato de Nibia, Dalmao comandava o departamento de inteligência. As informações são da Associated Press.