A facção do Movimento de Libertação Nacional da Palestina (Fatah), à qual pertence o presidente Mahmoud Abbas, deve reafirmar sua posição de não reconhecer Israel como um estado judeu em congresso majoritário da organização na semana que vem.

De acordo com documento obtido pela AFP, o congresso também deve vetar a retomada das negociações pacíficas enquanto Israel prosseguir com a construção de assentamentos em Jerusalém e na Cisjordânia.

O congresso do Fatah, que começa na terça-feira (4), em Ramallah, será o primeiro do tipo em 20 anos e espera a presença de aproximadamente 2 mil delegados de todo o mundo.

Israel está sob pressão diplomática devido à sua política de assentamentos, particularmente no leste de Jerusalém, que foi capturado durante a Guerra dos Seis Dias, em 1967, e depois anexado em um ato não reconhecido pela comunidade internacional.

Israel vê toda Jerusalém como sua “eterna e indivisível” capital. Os palestinos, por sua vez, querem que o leste da cidade – onde moram cerca de 200 mil israelenses judeus em 121 assentamentos e 268 mil palestinos – seja a capital de seu futuro estado.