Autoridades da embaixada do Egito em Londres suspenderam os serviços públicos neste domingo por razões de segurança. O Ministério de Relações Exteriores da Grã-Bretanha declarou que os serviços públicos foram suspensos, mas não informou detalhes sobre a ameaça e não indicou quando o local será reaberto.

De acordo com um oficial de segurança egípcio, a embaixada entrou em contato com o Ministério do Interior egípcio, responsável pela polícia, para pedir um “reforço na segurança” nas instalações. Ele não explicou o motivo das preocupações e falou na condição de anonimato. O prédio está localizado no tranquilo bairro Cidade Jardim, ao lado do Rio Nilo e próximo à embaixada americana.

O Egito tem enfrentado um aumento de ataques atribuídos a militantes islâmicos que lutam contra o governo do presidente Abdel-Fattah El-Sissi.

Outros governos ocidentais alertaram seus cidadãos sobre a insegurança na capital egípcia. No sábado, o governo australiano informou que viajantes devem reconsiderar viagens ao Egito e citou relatos de que “terroristas podem estar planejando ataques contra locais turísticos, ministérios e embaixadas no Cairo.”

No mesmo dia o governo americano recomendou que funcionários da embaixada dos EUA evitassem universidades na capital egípcia devido a “atividades potencialmente perigosas”, incluindo protestos violentos e ataques terroristas. Os funcionários também foram impedidos de usar o sistema de trem e de metrô. Fonte: Associated Press.