Na Argentina, o dia 29 de maio está sendo marcado pelas diversas manifestações contra a atual política econômica do presidente Mauricio Macri. Em diferentes pontos do país, o povo foi às ruas para exigir melhores condições de vida. Com faixas, megafones e camisas com frases contra o governante, os argentinos queriam fazer barulho em relação à realidade do país.

Com alto índice de desemprego e enfrentando uma inflação que chegou a 11,8% somente nos três primeiros meses de 2019, a população quer mudanças. Em muitos pontos distintos os manifestantes se reuniram na capital. Um desses locais foi o Obelisco, famoso monumento da capital Portenha que fica na Avenida 9 de Julho, uma via muito conhecida no país e que reúne multidões em diversos eventos, entre eles esportivos.

+ Fique esperto! Perdeu as últimas notícias sobre segurança, esportes, celebridades e o resumo das novelas? Clique agora e se atualize com a Tribuna do Paraná!

Na final da Copa do Mundo de 2014, por exemplo, em que a Argentina disputou o título com a Alemanha, este foi o local escolhido para a concentração de milhares de torcedores. Desta vez, a reunião de pessoas foi por outro motivo. Centenas de manifestantes estão no local desde as primeiras horas do dia.

A Tribuna do Paraná está em Buenos Aires para acompanhar a partida entre Athletico e River Plate, pela final da Recopa Sul-Americana, que acontecerá na quinta-feira(30), a partir das 21h30 no estádio Monumental de Núñez. Porém, o assunto no país nesta quarta-feira é a greve geral.

Grande parte dos comércios de Buenos Aires está fechado e os serviços de transporte estão reduzidos. Foi inclusive em razão das manifestações que a finalíssima do torneio continental foi adiada. Inicialmente o confronto seria nesta quarta-feira(29), mas precisou ser transferido para um dia após a greve.