O médico anestesista Antonio Mola, de 32 anos, que prestava serviço à prefeitura de Paiçandu, a 450 quilômetros de Curitiba, foi afastado do trabalho no Hospital Municipal São José. O motivo é ter atendido , no local seu cachorro rottweiler, de sete anos, que havia machucado uma pata. Um auxiliar do serviço de raio X, que é concursado e o ajudou, foi afastado por 60 dias, enquanto a prefeitura apura o caso.

Segundo a prefeitura, o médico teria chamado o auxiliar na manhã de domingo, porque um portão caíra sobre o cachorro. Os dois foram ao hospital e estavam na sala de raio X quando uma enfermeira abriu a porta e estranhou a presença do cachorro. Foi ela quem acionou a direção. O local foi interditado, passou por uma desinfecção e já está recebendo os pacientes normalmente.

O médico, que atende em outros hospitais da região, admitiu hoje ter errado ao levar o animal para o hospital. "Não é um ambiente específico para cachorro", reconheceu. Mas creditou o ato ao desespero do momento. "Não sabia que podia repercutir tanto", disse. Ele pretende conversar com o prefeito para contar-lhe sua versão.

"Nenhum paciente deixou de ser atendido", afirmou. Segundo Mola, não foi feito raio X no cachorro porque não havia filme. O atendimento restringiu-se à colocação de uma tala na perna esquerda traseira.