Brasília – No evento de comemoração do centenário de vôo do 14 BIS, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva lembrou a decisão do aviador brasileiro Alberto Santos Dumont de tornar seu invento (o 14 BIS) de domínio público.

?Imaginem se hoje quem inventasse o remédio para combater a Aids ou o câncer, ao invés de vender a patente para um laboratório e para que poucos ficarem ricos, se essa descoberta se transformasse em uma coisa da humanidade em que as pessoas não precisassem pagar. Como seria mais fácil a gente cuidar dos problemas que afligem milhões de pessoas".

Santos Dumont nasceu em 20 de julho de 1873, na cidade mineira de Palmira, hoje rebatizada de Santos Dumont, onde ocorreu a comemoração. O aviador decolou pela primeira vez com o 14 BIS no dia 23 de outubro de 1906 em Paris (França), em um vôo que percorreu mais de 25 metros.

Na cidade, o presidente também visitou o Museu Casa Natal de Santos Dumont, no Parque Cabangu, onde está sendo construída a sede administrativa que abrigará o acervo original do inventor. Os documentos do aviador estão guardados, atualmente, na Fundação Casa de Cabangu. A nova sede terá salas climatizadas, auditórios e biblioteca. O governo federal investirá R$ 550 mil na obra.

Para o presidente, Santos Dumont deve servir de exemplo às futuras gerações. Ainda hoje, Lula participará, na Praça dos Três Poderes, em Brasília, da cerimônia de inscrição do aviador no Livro dos Heróis da Pátria.