O professor Nicholas Negroponte, fundador do Media Lab, do Massachusetts Institute of Technology (MIT), informou hoje (8), no Palácio do Planalto, que o laptop planejado para estudantes pobres dos países em desenvolvimento poderá custar menos de US$ 100 a unidade. À frente da instituição sem fins lucrativos One Laptop per Child (Um Laptop por Criança), Negroponte se reuniu com assessores da Presidência para traçar as próximas etapas do projeto no Brasil.

Em entrevista, o assessor especial Cézar Alvarez disse que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, antes de embarcar para o Reino Unido, reafirmou a disposição do governo brasileiro de adquirir, num primeiro momento, um milhão de máquinas. "O presidente disse que o projeto é de interesse estratégico do Brasil", relatou Alvarez.

No encontro com um grupo de trabalho do governo que avalia o projeto, Negroponte apresentou o modelo da máquina. O equipamento permitirá a estudantes se conectarem à internet e participarem de rede de alunos e professores da própria comunidade. A conexão à internet funcionará nos moldes do modelo WI FI, que não depende de linha telefônica. A máquina poderá ser usada por professores em sala de aula para trocar informações com os estudantes.

Até o momento, sete países, incluindo o Brasil, demonstraram interesse pelo computador. "O Brasil é o país mais preparado e entusiasta desse projeto", disse o professor. Ele estima que, a preço de mercado, o computador custaria US$ 220. "Algumas pessoas pensam que trata-se de um projeto de laptop, mas na verdade é um projeto educacional."

Alvarez disse que a meta do governo é prever recursos no Orçamento de 2007, que será elaborado no final deste ano, para garantir a compra de computadores e a distribuição das máquinas no segundo semestre do próximo ano. Essa previsão poderia incluir a compra de um número maior de computadores, que chegaria a 10 milhões. O governo espera ainda que o equipamento possa ser fabricado futuramente no País.