O governo federal pretende incluir no Programa Bolsa Família, até 2006, 11 milhões de famílias que ainda vivem abaixo da linha de pobreza. A informação foi dada hoje pelo secretário de Segurança Alimentar do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, José Baccarin, ao participar de seminário sobre desenvolvimento territorial e convivência com o semi-árido, que se realiza no Hotel Grande Rio em Petrolina, no sertão de Pernambuco.

Baccarin destacou que para atingir a meta já estão assegurados R$ 7 bilhões na proposta do Orçamento Geral da União a ser votada pelo Congresso Nacional. De acordo com o secretário, o Bolsa Família é fundamental em um país como o Brasil, onde 50 milhões de pessoas ainda não têm acesso à alimentação adequada.

Ele observou que com a implementação do programa, associado a outras políticas estruturais, a exemplo do Programa Nacional de Agricultura Familiar (Pronaf), as famílias passaram a consumir mais verduras, frutas, carboidratos e proteínas, que resultaram em benefícios nutricionais, principalmente para as crianças. O Bolsa Família contempla atualmente 6,5 milhões de famílias carentes em todo o país, sendo 60% no Nordeste.

Durante o seminário, que reúne representantes da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), estão sendo avaliadas as ações do Fome Zero, implementadas em 43 comunidades de Pernambuco e do Piauí.