O Arquivo Público da Prefeitura de Curitiba foi premiado pelo governo espanhol, com uma bolsa de estudos, pelo trabalho que desenvolve na gestão documental do município. A capital concorreu ao prêmio com outras nove cidades brasileiras, entre elas Ouro Preto, em Minas Gerais, uma das mais conhecidas cidades históricas do país. Além do Brasil, o governo espanhol ofereceu mais três bolsas, disputadas por países da América Latina e América Central.

"Este prêmio mostra que o Arquivo Público de Curitiba vem desenvolvendo um bom trabalho, tornando o trâmite de documentos mais rápido e econômico, o que permitirá a preservação dos acervos do patrimônio documental e da memória da Prefeitura de Curitiba, como determinou o prefeito Beto Richa", disse José Richa Filho, secretário da Administração. A Secretaria da Administração é responsável pelo Arquivo Público.

José Richa lembra que o Arquivo Público de Curitiba, que é responsável pelo gerenciamento, guarda e disponibilização de mais de 2 milhões de documentos, está passando por um processo de modernização. Para a diretora do Arquivo Público, Maria do Carmo Cattani, o prêmio favorecerá a busca de conhecimentos e a troca de informações para a qualidade do serviço prestado aos servidores e cidadãos curitibanos.

A bolsa de estudos será usada pela historiadora Andrina Maria Alves Imbelloni, gerente de gestão documental do Arquivo Público. Ela viaja no dia 30 de agosto para Alcobendas, região de Madrid, onde ficará por quatro semanas. Lá, Andrina participará de atividades que tratam da proteção, organização e difusão do patrimônio documental em perigo de perda ou dano irreversível, e do desenvolvimento de projetos para guarda e recuperação de documentos.

O prêmio consolida uma parceria existente entre os municípios de Curitiba e Alcobendas, e seus respectivos arquivos públicos. A parceria prevê ações conjuntas para a implantação de políticas de gestão de documentos, informações e sistemas municipais de arquivos, além do aperfeiçoamento de profissionais.