O empresário Sebastião Buani deve apresentar na manhã de hoje (14) à Polícia Federal a cópia de cheque no valor de R$ 7,5 mil emitido em 2003. O cheque teria sido pago ao então primeiro-secretário da Câmara dos Deputados, Severino Cavalcanti (PP-PE), como propina para a prorrogação da concessão do restaurante de Buani na Câmara. O cheque teria sido sacado por um funcionário do gabinete de Severino Cavalcanti.

O atual presidente da Câmara é acusado de ter exigido propina do empresário em 2002 e 2003, quando era primeiro-secretário da Casa. Na segunda-feira (12), Buani levou cópia de seu extrato bancário de abril de 2002. O documento mostra a retirada de um cheque no valor de R$ 40 mil, no dia 4 de abril, mesma data em que Severino Cavalcanti teria assinado documento prorrogando a concessão do restaurante Fiorella até 2005.