São Paulo – O número de empregos na construção civil no país cresceu 1,35% no primeiro bimestre de 2007, de acordo com dados divulgados nesta quinta-feira (19) pelo Sindicato da Construção Civil do Estado de São Paulo (Sinduscon-SP). Segundo o sindicato, foram criados 21 mil novos postos de trabalho nos dois primeiros meses do ano, totalizando 1,57 milhão de trabalhadores no setor.

Em fevereiro houve elevação de 0,47% sobre janeiro, com 7.421 novas vagas. No mesmo período do ano passado o setor gerou 36,6 mil empregos. No fim de fevereiro de 2006 a construção civil registrava 1,49 milhão de trabalhadores com registro em carteira.

Segundo o presidente do Sinduscon-SP, Eduardo Zaidan, os resultados do bimestre se devem ao comportamento tipicamente sazonal do setor. ?Todo fim de ano registra-se dispensa nos meses de novembro e dezembro e no começo do ano há contratações. Se compararmos o primeiro bimestre do ano com o último do ano anterior encontramos um rearranjamento entre os setores?.

De acordo com os dados do Sinduscon-SP, em novembro de 2006 o total de empregados formais no setor era de 1,53 milhão, com 9.561 demissões (- 0,62% sobre outubro). Em dezembro, o total de trabalhadores com registro em carteira foi de 1,49 milhão, com 37.735 demissões (- 2,46% sobre novembro).

?O que podemos dizer com certeza é que houve uma recuperação do emprego nesses dois primeiros meses do ano. Quer dizer, o setor recuperou a perda e isso é um bom sinal porque se houvesse uma situação ruim no setor essa recuperação não se daria?.

Na avaliação de Zaidan, ainda é cedo para estimar como será o decorrer do ano para o setor, que segundo ele, precisa ser analisado em um horizonte de pelo menos seis meses. ?Não dá para pegar um mês ou outro porque o sistema produtivo da construção civil é muito peculiar?. Mesmo assim, ele disse esperar que o setor cresça no mínimo 4,6%, como ocorreu em 2006.