O desempenho das vendas da indústria paranaense em novembro fez de 2010 o melhor ano para o setor na série histórica dos Indicadores Conjunturais da Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep), iniciada em 1986.

Apesar de uma leve retração em relação a outubro, de 0,29%, as vendas em novembro foram 13% superiores às registradas no mesmo mês de 2009. No acumulado de janeiro a novembro de 2010, o indicador cresceu 8,4% em relação ao mesmo período do ano anterior, ficando 0,7% acima do visto em 2008.

Até outubro, o desempenho do ano passado ainda estava abaixo do verificado em 2008, quando os efeitos da crise econômica ainda começavam a ser sentidos. Segundo o coordenador do Departamento Econômico da Fiep, Maurílio Schmitt, a retração nas vendas em relação a outubro foi menor do que o esperado.

“Tradicionalmente, novembro apresenta forte queda frente a outubro, pois as entregas para compor os estoques do comércio no fim de ano se concentram em setembro e outubro”, explica. “Assim, o resultado de novembro é atípico e contribuiu para que as vendas acumuladas no ano ultrapassassem o desempenho de 2008”, destacou.

Em novembro houve acomodação nas vendas na comparação com outubro de 11 dos 18 setores analisados pela pesquisa da Fiep. As maiores retrações foram nos segmentos de edição e impressão, com queda de 12,7%, produtos químicos (-9,7%) e alimentos e bebidas (-5,6%). Houve crescimento expressivo nos setores de couros e calçados, de 40%, metalurgia básica (33%) e confecções (28%).

Nos 11 primeiros meses de 2010, 17 dos 18 setores pesquisados elevaram suas vendas. O principal destaque está no segmento de veículos, que cresceu 36% e se recuperou da crise que derrubou a produção entre o fim de 2008 e início de 2009.

Ele foi seguido pelos setores de minerais não metálicos (28,6%), couros e calçados (25%), e máquinas e aparelhos elétricos (23,8%). A única indústria que registrou retração até novembro foi a de edição e impressão, com queda de 14%.

“A indústria paranaense vem se recompondo da crise de 2008. Até agora são dezessete gêneros que têm vendas superiores a 2009, mas apenas nove superaram as vendas dos primeiros onze meses de 2008”, analisa Schmitt.

Segundo ele, os segmentos que ainda não alcançaram o patamar de vendas de 2008 tendem a aproveitar o crescimento do mercado interno, movimento que deve continuar em 2011.

Emprego

Com o fim da produção voltada para o Natal, novembro apresentou a terceira retração seguida no nível de emprego, de 0,5% em relação a outubro. A atividade mais aquecida do que no ano anterior, porém, fez com que o nível de emprego ficasse 5,5% mais alto do que o visto no mesmo mês de 2009. No acumulado do ano, a indústria aumentou em 4,8% o número de pessoas contratadas. Na comparação com 2008, o indicador cresceu 1%.