O diretor internacional da Bolsa de Nova York, Alexandre Ibrahim, convidou ontem a Sanepar para ter as ações listadas naquele mercado. O convite foi feito durante visita ao diretor de Relações com Investidores da empresa, Germinal Pocá. Segundo Ibrahim, após análises, a Bolsa de Nova York entendeu que a Sanepar, entre as companhias de saneamento do Brasil, é a que “teria mais condições para colocar ações no mercado internacional”.

Ibrahim teceu elogios à empresa, afirmando que ela está preparada para operar no mercado de capitais e que possui reconhecida seriedade na gestão estratégica e transparência pública no repasse de informações. Ibrahim também disse que o sistema de contabilidade adotado pela companhia “é bem visto pelos analistas da Bolsa de Nova York”.

Pocá informou que, embora a Sanepar não descarte essa possibilidade, por ora ela é inviável. “Precisamos aguardar a tramitação, na Assembléia Legislativa, da proposta do governo do Estado que prevê o aumento de capital da Sanepar”, destacou. No entanto, o diretor explicou que o mercado de capitais internacional é uma alternativa de captação de recursos de baixo custo quando a companhia precisar de dinheiro novo para atender a expansão prevista em seu planejamento estratégico. Para ele, a capitalização da empresa, via acionistas, é uma opção de obter recursos mais econômicos, não sujeitos à variação cambial.

Porém, Pocá reitera que mesmo que a empresa venha a expandir a sua participação no mercado de capitais, não se cogita a hipótese de abrir mão de manter e fortalecer o controle acionário da empresa. “O acionista majoritário é o Governo do Paraná e continuará com o controle da empresa”, enfatizou.

Atualmente, a Sanepar, pela sua credibilidade e pela capacidade de endividamento junto a outras linhas de crédito, não precisaria fazer a emissão primária de ações para entrar num mercado como o de Nova York. O diretor de Relações com Investidores destacou ainda que, pela natureza de sua atividade, “é preferível que o endividamento seja feito em moeda nacional, por oferecer mais tranqüilidade na gestão da dívida”.

As ações da companhia estão listadas apenas na Bolsa de São Paulo. Em 2002, no governo passado, a Sanepar tentou entrar na Bolsa de Nova York. A operação (IPO) foi abortada quando o dólar teve variação muito elevada e a taxa de risco Brasil chegou a patamares recordes.