São Paulo (AE) – A Perdigão anunciou prejuízo de R$ 26,3 milhões no segundo trimestre, ante lucro de R$ 83,5 milhões registrado no mesmo trimestre do ano passado. A receita líquida recuou 8,4%, para R$ 1,201 bilhão, sendo R$ 801,1 milhões no mercado interno (alta de 9,5%) e R$ 591,7 milhões em exportações (queda de 21,3%).

Segundo a empresa os resultados refletem a crise da indústria de carnes – provocada pela gripe aviária e pela febre aftosa – iniciada no final de 2005, que gerou o desaquecimento da demanda de carne de frango, além de redução das encomendas de suínos, em função do embargo russo.

A Perdigão informou também que os preços médios dos produtos comercializados no mercado interno no segundo trimestre registraram um recuo de 7,5% frente ao mesmo período do ano passado.

No mercado externo, o cenário foi pior. O preço médio recuou 20,2%, em reais, e perto de 5% em dólares, enquanto os custos de produção caíram apenas 9%. A menor pressão dos custos foi motivada pela redução dos preços dos grãos, os quais têm peso maior nos produtos destinados à exportação. No mercado interno, perto de 80% da receita provém dos produtos processados.

Frete

De acordo com o vice-presidente de finanças e de relações com investidores da Perdigão, Wang Wei Chang, a empresa teve que fazer mais entregas diretas de produtos in natura em locais mais distantes, elevando os gastos com frete.

A crise levou a Perdigão a reduzir o abate de aves em 4,7% e o de suínos em 1% no trimestre. No semestre, no entanto, houve aumento de 3,6% e 0,8%, respectivamente. Neste momento, segundo Wang, o ritmo de produção está ligeiramente abaixo do nível anterior à crise, mas os preços já estão se recuperando.