Apesar de balanços positivos e da agenda sem grandes destaques, os mercados internacionais amanhecem com tom negativo. As bolsas européias operam em baixa de mais de 1% e eram seguidas pelos índices futuros de Nova York. Por conta disso, o dólar comercial abriu em alta de 0,05%, cotado a R$ 1,843, mas já recuava para a estabilidade às 9h58, a R$ 1,842. Já na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F), o dólar à vista começou o dia em queda de 0,05%, a R$ 1,841.

A única informação preocupante do dia, até o momento, refere-se ao mercado privado de renda fixa dos Estados Unidos. Segundo informações, instituições financeiras de Wall Street adiaram a venda de US$ 3,1 bilhão em títulos de empréstimo.

Os temores em relação ao mercado de dívida corporativa de risco são um reflexo da crise que abala os negócios de segunda linha (subprime), mostrando que as incertezas estão se alastrando entre os investidores. E podem ser o motivo do mau humor internacional.