O presidente dos EUA, Barack Obama, disse que a decisão da agência de classificação de risco Standard & Poor’s (S&P) de rebaixar o rating de crédito norte-americano deve trazer um “novo senso de urgência” sobre a necessidade de resolver os problemas orçamentários do país.

“O fato é que não precisamos de uma agência de rating dizendo ser necessária uma abordagem equilibrada e de longo prazo para a redução do déficit: isso era verdade na semana passada, era verdade no ano passado e era verdade no dia em que assumi o governo”, disse Obama num pronunciamento. “E não precisamos de uma agência de rating para nos dizer que o impasse em Washington nos últimos meses não foi construtivo, para dizer o mínimo”, acrescentou.

Na noite de sexta-feira, a S&P rebaixou o rating de crédito dos EUA para AA+, de AAA, citando como justificativa o entrave político entre republicanos e democratas durante o debate sobre as possíveis soluções para os problemas fiscais do país. A Casa Branca criticou a decisão e o secretário do Tesouro dos EUA, Timothy Geithner, disse no domingo que a agência “mostrou uma estonteante falta de conhecimento sobre os cálculos orçamentários” norte-americanos.

Originalmente, a S&P havia errado em cerca de US$ 2 trilhões a redução no déficit trazida por uma lei sancionada por Obama na semana passada. As autoridades norte-americanas alertaram a agência sobre o erro, mas ela afirmou que, ainda assim, os EUA mereciam ter seu rating rebaixado porque o país não adotou medidas suficientes para diminuir o rombo nas contas públicas. As informações são da Dow Jones.