A tarifa social do transporte coletivo em Curitiba vai subir em 2019. Em entrevista à Gazeta do Povo nesta quarta-feira (5), o prefeito Rafael Greca (PMN) afirmou que, em fevereiro, quando ocorre o reajuste da data-base dos funcionários do transporte coletivo, a passagem inevitavelmente sofrerá reajuste. “Estamos trabalhando para reduzir custos e vamos tentar dar o menor aumento possível. Com certeza haverá reajuste porque não é possível manter a tarifa congelada enquanto os demais preços sobem”, afirmou. Veja a entrevista na íntegra.

+Leia também: Homem é detido após tentar olhar por baixo de vestido de mulher em ônibus

Hoje, a tarifa social, paga pelo usuário na catraca, está em R$ 4,25, mas a tarifa técnica custa R$ 4,71. A diferença em 2018 foi paga por um subsídio de R$ 71 milhões concedido pelo governo do estado. Para 2019, a dúvida é se o convênio continuará acontecendo. “Eu e Ratinho estamos na melhor relação. Pode ser um dos temas discutido com ele. O mundo inteiro tem [subsídio]”, disse o prefeito.

+Leia também: Polícia Federal cumpre mandados em Curitiba em operação contra fraude no INSS

Ônibus sem cobradores

Greca também falou sobre a extinção dos cobradores no sistema de transporte coletivo da capital. A possibilidade de que todos os ônibus circulem somente com a bilhetagem eletrônica está sendo discutida na Câmara de Curitiba, sob protestos do sindicato da categoria. “Não quero demitir ninguém. Quero que os cobradores sejam requalificados, como prevê a convenção coletiva assinada pelos sindicatos”, disse.

+Leia também: Opinião: Ônibus sem cobrador é um caminho sem volta!

Apostador acerta sozinho e fatura R$ 2 milhões na Lotofácil