Mil curitibanos voluntários vão receber a vacina contra a covid-19 da Johnson & Johnson, que é desenvolvida por seu braço farmacêutico Janssen-Cilag. A previsão é de que as aplicações, que fazem parte da terceira e última fase de testes da vacina, tenham início na primeira quinzena de outubro.

LEIA TAMBÉM – Governador de São Paulo anuncia vacinação de covid-19 a partir de dezembro

Até agora, os resultados preliminares parciais apontam que a vacina da Johnson & Johnson é segura e induziu resposta imune mesmo após uma única aplicação. Estes resultados são referentes a uma parte dos participantes das fases 1 e 2, que foram conduzidas de forma conjunta.

A imunização da J&J foi a quarta a obter autorização de testes de fase 3 no Brasil, em agosto. Na semana passada, a empresa anunciou que começaria a terceira etapa em todo o mundo, com 60 mil voluntários de oito países, incluindo o Brasil.

LEIA AINDA – Greca se recupera da covid-19 e tem alta nesta quarta; Primeira-dama segue internada

Segundo a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), o Brasil contará com 7 mil participantes neste estudo. Nesta etapa de testes também participam pessoas acima dos 60 anos e voluntários que tenham doenças preexistentes, como diabetes, hipertensão, asma e HIV.

Se a eficácia e a segurança da vacina forem comprovadas, a expectativa é de que ela esteja disponível no início de 2021 para uso emergencial, afirma a empresa.