Depois de quase cinco meses de paralisação, as atividades acadêmicas práticas de alguns cursos de graduação e pós-graduação serão retomadas na Universidade Positivo (UP), em Curitiba, a partir desta segunda-feira (3). A informação foi anunciada em nota enviada pela instituição a alunos e imprensa.

LEIA TAMBÉM Universidade Positivo demite dezenas de professores e deve acabar com licenciaturas

Segundo o texto, a medida vale para os cursos de graduação e pós-graduação que exigem prática em laboratórios, clínicas, hospitais, redes básicas de saúde e instituições sociais. Ao todo, cerca de 500 alunos dos cursos de Medicina e Odontologia e da pós-graduação devem retornar às atividades práticas.

A retomada ocorre em um momento de grande atenção da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) para o alto número dos casos de coronavírus em Curitiba que colocam a curva de contágio em um possível platô — quando há uma estabilização nos casos e óbitos diários. A capital está sob o alerta de bandeira laranja, que, basicamente, restringe o horário de funcionamento dos comércios e prioriza atividades consideradas essenciais.

Conforme explica a carta da UP, para tomar a decisão, a instituição levou em conta as orientações sanitárias exigidas pelas autoridades de saúde e os decretos da pandemia que estão valendo em Curitiba. A instituição diz que vai adotar medidas preventivas e procedimentos de limpeza especiais e seguir todos os protocolos de saúde para garantir a segurança de alunos e profissionais. 

LEIA MAIS Retorno às aulas das escolas estaduais do Paraná pode acontecer em setembro

A universidade informou que os alunos receberam um manual de prevenção no ambiente acadêmico de medidas de saúde, higiene e segurança recomendadas. Ainda de acordo com a carta, as aulas teóricas da graduação e pós-graduação seguem de forma remota. As aulas presenciais estão suspensas desde o dia 17 de março.

A UP também informa que a “dimensão e a gravidade da pandemia do coronavírus e as medidas de isolamento social impuseram prejuízos pesados de ordem pessoal, psicológica, profissional e financeira a todos”. O objetivo, segundo a entidade, é retomar as atividades gradualmente com todos os cuidados necessários e trabalhar para retornar à normalidade.

Dificuldades

Recentemente, a universidade passou por uma reestruturação administrativa e mais de 300 professores foram demitidos, com a justificativa da crise financeira causada pela pandemia de coronavírus (covid-19). Mesmo com desfalques no quadro de professores e vários cursos, as práticas devem ser retomadas de forma gradual.