Vistoria técnica realizada pelo Ministério Publico do Paraná na escada rolante do Ventura Shopping, em Curitiba, apontou três irregularidades na estrutura. Datada em 29 de novembro de 2019, a vistoria aconteceu dias após um acidente que deixou um menino de quatro anos com 13 pontos na perna e que acabou se repetindo no último dia 9, quando uma menina de três anos levou mais de 15 pontos após ter a perna rasgada na mesma estrutura.

Segundo o laudo do Ministério Público, foram três irregularidades constatadas na escada rolante. A primeira delas aponta emendas do rodapé desencaixadas. “Foi identificado que os rodapés possuem os pontos de emenda desencaixados, criança arestas cortantes nesta estrutura. Tal situação está em desacordo com a NBR 16734”, diz o relatório técnico assinado por um engenheiro mecânico do Ministério Público do Paraná.

Menina de três anos levou mais de 15 pontos na perna após o acidente na escada rolante. Foto: Gerson Klaina.

A segunda irregularidade é um degrau da escada rolante com arestas cortantes, “provavelmente causado pelo desgaste das ranhuras do degrau”, diz a vistoria. Outra situação presente  no laudo pode causar aprisionamento de membros. “Dentes do pente da escada rolante estão quebrados. Destaca-se que os dentes dos pentes devem estar alinhados e em perfeitas condições para minimizar os riscos de aprisionamento entre pentes e vãos dos degraus”, diz o documento.

Os acidentes na escada rolante

Os dois acidente envolvendo a escada rolante do Ventura Shopping ocorram em uma distância de exatamente dois meses.  No primeiro, em nove de novembro de 2019, um menino de quatro anos quase perdeu a vida ao ter a perna rasgada na escada rolante.

No caso mais recente, registrado no último dia 9, uma menina de três anos foi vítima da escada rolante. A menina teve um rasgo ainda maior na perna direita e precisou levar mais de 15 pontos.

E aí, Ventura Shopping?

Em nota, o estabelecimento disse que as irregularidades apontadas pela vistoria do MP foram implementadas de imediato, com a troca de peças e revisão do sistema de funcionamento da escada rolante em questão. “Após o acidente ocorrido no dia 9 de novembro de 2019 e, de acordo com as vistorias realizadas pelo Ministério Público após as regularizações, não houve necessidade de interdição da escada rolante”, diz a nota.

Ainda segundo o shopping, a empresa responsável pelas manutenções do equipamento também comprova que a escada rolante estava em perfeitas condições de uso e que seguia padrões de segurança exigidos pelas normas técnicas da ABNT – conforme laudo emitido pela companhia especializada em 12 de novembro de 2019.

Por fim o shopping reafirmou que “lamenta o incidente ocorrido na última quinta-feira (9/1) e reitera que está prestando assistência à família. Além disso, está realizando uma nova avaliação técnica no equipamento e intensificando as ações de conscientização de uso adequado das escadas rolantes, principalmente quando utilizadas por crianças pequenas. Não pisar na faixa amarela e respeitar a indicação de apenas uma pessoa por degrau são algumas das recomendações dos especialistas e fabricantes”, diz a nota.