Após declaração do governador Ratinho Jr da possibilidade da volta às aulas presenciais na rede estadual a partir da segunda quinzena de novembro se os índices de contágio de covid-19 permitirem, os municípios da Região Metropolitana de Curitiba (RMC) também começam o planejamento para as escolas municipais receberem os alunos. O comitê deve criar um decreto conjuntos dos municípios para o retorno.

O Fórum Metropolitano de Combte à Covid-19 terá a partir da reunião desta quarta-feira (28) um comitê especial formado pelos secretários municipais de educação e outros representantes de cada cidade para planejar a volta às aulas. As escolas da RMC, entre municipais e estaduais, contam com cerca de 1 milhão de alunos.

VEJA MAIS – Volta às aulas presenciais na rede estadual pode ser em novembro, anuncia Ratinho Jr

O objetivo é de que a retomada das aulas seja feita de forma conjunta na RMC, conforme a reunião virtual segunda-feira (26) da Associação dos Municípios da Região Metropolitana de Curitiba (Assomec) que criou o comitê. “Falamos sobre os protocolos sanitários para uma provável volta às aulas, quando e se vão voltar e em que momento”, enfatiza Wozniack, em nota da Assomec.

O comitê vai criar um protocolo único paras os municípios da RMC, assim como as prefeituras já fizeram no combate ao coronavírus em julho, quando foram tomadas ações conjuntas de prevenção, com o fechamento de determinados comércios. Para isso, será criado um decreto para embasar as decisões de todos os municípios. “É importante ter um decreto que diga quando as escolas devem voltar de forma ordenada em todos os municípios”, explica Wozniack. Apesar do decreto, o presidente da Assomec afirma que cada cidade terá suas características respeitadas.

Rede estadual

Segunda-feira, ao anunciar a criação de 215 escolas cívico-militares, o governador Ratinho Jr afirmou que as secretarias estaduais de Educação e Saúde planejam o retorno das aulas presenciais nas escolas para a segunda quinzena de novembro. Isso se os índices de contágio do coronavírus continuar caindo no Paraná.

LEIA MAIS – Mais de 200 escolas de Curitiba e do interior do Paraná vão virar colégios cívico-militares, anuncia governo

“A ideia é de que, se continuarmos neste ritmo, se o índice de contaminação no estado do Paraná continuar caindo, a ideia é que na segunda quinzena mais ou menos de novembro a gente possa voltar próximo da normalidade para as aulas com alunos de forma gradativa por região”, afirmou o governador ao ser questionado sobre a volta às aulas.