Um rapaz de 25 anos identificado como Maicon da Silva Amorim morreu após mergulhar na Lagoa Azul, em Campo Magro, região metropolitana de Curitiba, no último sábado (7). O trabalho de resgate do Grupo de Operações de Socorro Tático (Gost), do Corpo de Bombeiros, durou dois dias, até que o corpo fosse encontrado domingo ( 08). A lagoa fica em uma antiga represa e tem pontos com até 45 metros de profundidade. Maicon não resistiu após tentar atravessar o local a nado com um amigo.

+Leia mais! Advogado quer Allana Brittes de volta na cadeia após foto

Segundo o tenente Luis Gustavo Pimenta, do Gost, era por volta das 15h de sábado quando o primeiro contato foi feito. “Recebemos o chamado e fomos para a represa. Mergulhadores entraram na água, mas nada foi encontrado. Encerramos as buscas e retomamos no domingo, quando encontramos o corpo do rapaz”, explicou o tenente. Testemunhas disseram que a vítima estava nadando com um amigo e acabou se afogando.

Área particular e inapropriada

O tenente ressaltou que local não é indicado para a prática de mergulho. Por ser uma propriedade particular, muitas pessoas invadem o terreno com o objetivo de fazer piqueniques e até mesmo churrascos. “Existem locais adequados para esta prática. Neste caso, a lagoa chega a ter 45 metros de profundidade e pontos em que o fundo tem partes lodosas. Ou seja, um local inadequado”, alertou o tenente. Por ser bastante profundo, a Lagoa Azul já chegou a ser um depósito de carros roubados.

O trabalho de resgate foi acompanhado de perto pelo irmão da vítima. O velório de Maicon da Silva Amorim acontece na Capela Mortuária Municipal de Campo Magro e sepultamento será nesta segunda-feira, às 17h, em local a ser definido.