A maior parte da primeira sessão legislativa da nova composição da Câmara Municipal foi dedicada ao discurso do prefeito Rafael Greca (PMN).

Greca mantém o mesmo posicionamento que teve durante a campanha de que o custo da passagem de ônibus não pode ser mascarado. A frase “as coisas custam o que custam” tem sido um mantra do prefeito.

Mesmo admitindo que o aumento da passagem é inevitável, Greca afirmou que não vai chegar ao valor de quase R$ 4,60, indicado pelas empresas que operam o sistema como o valor mínimo da tarifa técnica. “Esse valor não é considerado pela Urbs”, disse.

“[A passagem] sempre vai subir. É imperioso que suba porque tem um reajuste salarial de cobradores e motoristas. Isso faz parte dos meus espinhos do mês de fevereiro. Nós vamos fazer o possível para manter uma equação de equilíbrio e de responsabilidade com o bem-estar da população”, afirmou.