Depois do pronunciamento do governador Ratinho Júnior nesta segunda-feira (16) sobre novas medidas de prevenção do coronavírus no estado, muitos curitibanos correram para os supermercados numa tentativa de estocar alimentos e materiais de limpeza. Na tarde desta terça-feira (17), itens como álcool gel, papel higiênico, enlatados e ovos começaram a desaparecer das gôndolas de alguns supermercados de Curitiba.

LEIA TAMBÉMBeijinho, abraço e cumprimento são ciladas em tempo de coronavírus. Evite!

A funcionária pública aposentada Tereza Guimarães, de 64 anos, decidiu fazer compras num supermercado do bairro Mercês na tarde desta terça-feira e encontrou muita fila. “Acho que pode começar a faltar produtos e depois subir os preços, principalmente porque as empresas vão dispensar funcionários, dar férias, vai ter muita gente comprando”, explicou a aposentada. 

Desde o fim de semana, o movimento tem aumentado consideravelmente nos supermercados de Curitiba e assustou o administrador Vanio Beltrame, de 48 anos. “Moro aqui perto e sempre venho aqui. O movimento aumentou muito mesmo. O pessoal está com medo. Eu vim fazer compra normal, mas me assustou a movimentação”, disse Beltrame.  

+ Veja também: Coronavírus pelo mundo; paranaenses contam como é a rotina em sete países diferentes

Com movimento de um dia como se fosse de três, um funcionário do supermercado das Mercês disse que já há falta de sal, açúcar, produtos de mercearia salgada como enlatados e produtos de limpeza. Segundo ele, alho, álcool gel e papel higiênico não tem mais. Na procura por desinfecção, as pessoas estão comprando álcool de churrasco por ser 80%. 

Por causa do coronavírus, movimento em supermercado de Curitiba foi três vezes acima do normal nesta terça-feira (17). Foto: Lineu Filho / Gazeta do Povo.

Pânico desnecessário

O pelo presidente da Associação Paranaense de Supermercados (Apras), Pedro Joanir Zonta, aproveitou a situação para fazer um apelo. “Não há necessidade de estocar comida e produtos de higiene em casa”, alerta Zonta.

Em cidades da Alemanha, Itália, França e Portugal, moradores têm se deparado com prateleiras dos supermercados vazias. Nos últimos dias, produtos de limpeza como desinfetante, água sanitária, e higiene pessoal, como papel higiênico, toalha de papel e sabonetes antibacterianos tiveram maior procura em Curitiba. Entre os alimentos, os não perecíveis como arroz, feijão, farinha de trigo e óleo foram vendidos com mais frequência na capital. 

De acordo com Zonta, todas as indústrias continuam entregando produtos pontualmente. “Mantemos o giro normal do dia e como não há atrasos, só vai haver falta na gôndola quando há uma corrida aos supermercados e estocagem sem necessidade”, orienta o presidente da Apras. Segundo ele, os consumidores devem comprar o suficiente para até 30, 45 dias de estoque básico doméstico. 

Cuidados de higiene redobrados

A Associação Paranaense de Supermercados orienta a todos os associados a disponibilizar álcool gel para os colaboradores. “Os funcionários estão sendo orientados a lavar as mãos com frequência, evitar contato físico e manter distância de um metro de uma pessoa para a outra”, explica Zonta.

Mesmo com a suspensão do atendimento ao público de órgãos municipais e estaduais, o presidente da Apras salienta que os supermercados do Paraná não tem nenhuma previsão de fechar ou mesmo restringir o atendimento ao consumidor. “Não há como fechar, os supermercados são serviço de primeira necessidade da população”, afirma. 

Como prevenir a contaminação por coronavírus

  • Lavar as mãos com frequência/ ou utilizar álcool 70%, principalmente antes de consumir algum alimento;
  • Utilizar lenço descartável para higiene nasal;
  • Cobrir nariz e boca quando espirrar ou tossir;
  • Evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca, higienizar as mãos após tossir ou espirrar;
  • Não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos ou garrafas;
  • Manter ambientes bem ventilados, evitar contato próximo com pessoas que apresentem sinais ou sintomas da doença;
  • Evitar contato próximo com animais selvagens e animais doentes em fazendas ou criações;
  • Pessoas com sintomas de infecção respiratória aguda devem praticar etiqueta respiratória (cobrir a boca e nariz ao tossir e espirrar, preferencialmente com lenços descartáveis, e depois lavar as mãos).

Baixe o guia de prevenção para compartilhar!

Imprima esse guia em PDF com informações sobre a prevenção do Coronavírus e outras doenças respiratórias virais: