Após dias de busca, equipes da Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente (DPMA) conseguiram localizar o cachorro que teria ingerido bebida alcoólica, no último fim de semana, após os tutores oferecerem um líquido de uma lata de cerveja para o animal beber. Os responsáveis foram indiciados por maus-tratos e o filhote recolhido à ONG SOS 4 Patas, em Campo Largo, região metropolitana de Curitiba. Em depoimento, porém, eles falaram que não era cerveja dentro da lata.

>>Assista ao vídeo divulgado pela Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente

Segundo o delegado Matheus Laiola, que cumpriu o mandado de busca e apreensão, a advogada e o modelo, que são responsáveis pelo animal, alegaram em depoimento que não era cerveja dentro da lata. “Ouvimos o casal e eles deram a versão que era água. Eles foram indiciados e o filhote vai  ficar sob tutela da SOS 4 Patas. O caso está resolvido”, comentou Laiola.

+Viu essa? Cachorro preso na coleira é maus-tratos? Confira e saiba como denunciar os crimes contra os pets

Apesar da negação da dupla, o delegado não ficou muito convencido de que o líquido que saía da lata não era cerveja. O cachorro está bem clinicamente e vai passar por exames nas próximas horas.

+Leia mais! Nova lei é esperança de penas mais justas a quem comete maus-tratos animais

Maus-tratos tem punição mais pesada

No dia 29 de setembro, o presidente Jair Bolsonaro sancionou a Lei 1.095/2019, que aumentou a punição para quem comete maus-tratos a animais. A legislação abrange animais silvestres, domésticos, nativos ou exóticos. A pena prevê reclusão de dois a cinco anos, além de multa e a proibição da guarda do animal vítima.