Anieli Kurtel, 24 anos, e Luís Fernando Araújo, 33 anos, o casal que está grávido de quíntuplos, alerta para pessoas de má fé que estão usando a história deles para faturar dinheiro na internet. Na semana passada, surgiu um perfil falso na rede social Twiter, chamado @mamaedequntupl1 (de Recife, Pernambuco), que usava fotos de Anieli grávida e pedia contribuições. Além deste perfil, o falsário também criou uma conta no site Vakinha (que tinha o número 701551). As duas contas já foram denunciadas e tiradas do ar.

Luís explica que a única conta que eles possuem nas redes sociais está no Instagram e chama-se @quintuplosdoparana (Pais de Quintuplos Luis e Ani). Além desta conta, a vaquinha online que eles possuem no site Vakinha chama-se “Ajuda aos Quíntuplos do Paraná” (número de identificação 567080). Qualquer outra conta que não seja estas, mesmo que utilize o nome e as fotos do casal, é falsa. “Nós não temos conta no Twiter, nem no Facebook. Quem me alertou foi uma pessoa lá de Recife, que disse que queria ajudar e quase depositou dinheiro nessa Vakinha falsa. Sorte que ele decidiu nos passar mensagem antes”, disse Luís.

Muita ajuda

Casal grávido de quíntuplos, pode ser a primeira gestação bem sucedida. FOTO: Felipe Rosa / Tribuna do Parana
Casal grávido de quíntuplos, pode ser a primeira gestação bem sucedida. FOTO: Felipe Rosa / Tribuna do Parana

O casal abriu a conta no site Vakinha porque sabe que precisará de muita ajuda. Eles planejavam dar um irmão ao filho de Anieli, o Davi, e sabiam que poderia ser uma gestação múltipla, já que existem casos na família dela. Mas não esperavam que viessem cinco de uma vez. Luís estima que, no início, os bebês usarão cerca de 1.200 fraldas por mês. Sem contar os lenços umedecidos e leite, já que Anieli talvez não dê conta de amamentar tantos bebês. O objetivo é arrecadar R$ 40 mil. Até agora, arrecadou pouco mais de R$ 23 mil.

A Tribuna fez uma campanha, com o objetivo de arrecadar fraldas aos bebês. Clique aqui e confira como foi a entrega das doações, na semana passada.

Anieli disse à Tribuna, na ocasião da entrega das doações, que o casal usará o dinheiro da Vakinha depois que os bebês nascerem. “Agora tem bastante gente ajudando. Mas a gente sabe que depois que eles nascerem, depois que passar a novidade, as pessoas vão esquecer um pouco o assunto. E será o momento que a gente mais vai precisar. Além das fraldas, sei que vamos gastar muito com leite”, diz a mamãe, que está com 28 semanas e tentando segurar ao máximo a gestação.

Cada dia que os bebês ficam na barriga dela são três dias a menos de UTI neonatal. Mas Anieli está sendo guerreira e muito elogiada pelos médicos, pois apesar das dores, desconforto e noites insones, ela está aguentando firme a gestação.

Prêmio de Melhor Linguiça do Brasil pode ir para ‘gastrobar’ de Curitiba