Familiares e amigos de uma garota, de 13 anos, que foi atropelada por uma motocicleta, bloquearam parcialmente a Rua João Dembinski, no bairro Fazendinha, em Curitiba, na noite desta quinta-feira (11). Em frente ao condomínio onde Gabriele mora com a família, os manifestantes empunhavam faixas e cartazes e até fizeram uma barreira com entulho em chamas.

O objetivo era chamar a atenção para o trânsito violento na região. “Precisamos de uma passagem elevada, para que os carros e motos diminuam a velocidade em frente ao condomínio. Seria importante um recuo também, para que os veículos pudessem parar com segurança na entrada do prédio”, disse o síndico. Segundo ele, diversas solicitações já foram feitas na prefeitura.

O objetivo era chamar a atenção para o trânsito violento na região.  Foto: Lineu Filho
O objetivo era chamar a atenção para o trânsito violento na região. Foto: Lineu Filho

Conforme o relato de familiares da garota, na terça-feira (9), uma van escolar estava parada em frente ao condomínio e dificultou a visão do motociclista, que passava em alta velocidade e atingiu Gabriele quando ela tentava atravessar a rua.

A garota sofreu diversas fraturas, teve pulmão e rim perfurados, além de sofrer traumatismo craniano e segue internada na UTI do Hospital do Trabalhador. “Os médicos dizem que ela está se recuperando rápido. Espero que logo esteja de volta”, disse Brenda, irmã da vítima. A rua ficou parcialmente fechada pelo protesto até por volta das 22h.

A rua ficou parcialmente fechada pelo protesto até por volta das 22h. Foto: Lineu Filho
A rua ficou parcialmente fechada pelo protesto até por volta das 22h. Foto: Lineu Filho