A curiosidade de saber se alguém da sua rua já teve ou está infectado pelo novo coronavírus já deve ter passado na sua cabeça neste período de pandemia. Pensando nisso, uma plataforma digital criada aqui em Curitiba é capaz de ajudar a verificação. O site Juntos contra o Covid já atingiu mais de 20 mil curitibanos e com um simples formulário qualquer pessoa vai ter rapidamente uma resposta próxima da realidade.

Entretanto, as informações não são oficiais em termos de estatísticas, já que não estão vinculadas a nenhum órgão oficial de saúde. Mesmo assim, os desenvolvedores afirmam que os dados batem em cerca de 85% com as informações oficiais.

LEIA MAIS – Fiscalização da máscara será da Vigilância Sanitária com multa de até R$ 533 no PR

O projeto foi desenvolvido e criado por Faissal Nemer Hajar,estudante do quarto ano de Medicina da Universidade Federal do Paraná (UFPR). Com a ajuda de amigos e do médico Valderilio Feijó, professor de Reumatologia da UFPR, a plataforma basicamente se desenvolveu com o cadastro do público a partir de perguntas simples sobre o estado de saúde da pessoa, se teve contato com pessoas infectadas ou viajou recentemente.

A partir dessas informações, um algoritmo validado pelo Ministério da Saúde e pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) calcula o risco de infecção em cada área como baixo, médio ou alto. E também a partir dessas informações as condições de saúde de quem se cadastrou passam a ser monitoradas pelo aplicativo, orientando se é preciso buscar ajuda médica. ““O nosso objetivo é aumentar o grau de conscientização das pessoas, inserido como parte de pesquisa com nossos parceiros”, aponta Faissal.

Entretanto, o estudante de medicina que desenvolveu o app faz um alerta sobre as áreas de mais incidência de casos. “É importante ressaltar que os lugares críticos apontados no mapa não podem causar pânico ou preocupação nas pessoas e sim cuidados para evitar a contaminação”, comentou Faissal.

Números são reais?

Segundo os desenvolvedores do sistema, 85% dos dados batem com os números divulgados pelas autoridades de saúde do Paraná. No caso de Curitiba, a análise foi feita depois que a prefeitura divulgou no dia 13 de maio que todos os 75 bairros tinham ao menos um caso da covid-19.

“Ali tivemos uma excelente resposta do nosso trabalho, pois chegamos a um número altíssimo da realidade. Não temos nenhuma parceria com a prefeitura ou qualquer órgão do governo. Estamos hoje em dia com 21 colaboradores em todo o Brasil e contando com o auxílio de apoiadores com a Amazon’, disse o estudante de Medicina.

VIU ESSA? – Com idosos barrados e preocupação de funcionários, shoppings reabrem em Curitiba

A ideia da plataforma é permanecer ativa mesmo quando a pandemia acabar. Segundo Faissal Nemer Hajar, outras doenças como a dengue, podem virar objeto de pesquisa. Além da covid-19, o Paraná vive também um surto de dengue, com 180 mil casos e 139 mortes até esta terça-feira (26).


A Tribuna precisa do seu apoio! 🤝

Neste cenário de pandemia por covid-19, nós intensificamos ainda mais a produção de conteúdo para garantir que você receba informações úteis e reportagens positivas, que tragam um pouco de luz em meio à crise.

Porém, o momento também trouxe queda de receitas para o nosso jornal, por isso contamos com sua ajuda para continuarmos este trabalho e construirmos juntos uma sociedade melhor. Bora ajudar?