A primeira-dama Ruth Cardoso agradeceu, constrangida, o convite do candidato a presidente José Serra (PSDB-PMDB) para comandar um ministério da área social, caso vença o pleito presidencial. ?Ele foi muito simpático, mas é fora da época e do tempo considerar isso?, afirmou.

O convite foi feito na noite de ontem (12), durante ato de campanha da militância feminina do PSDB no Clube Pinheiros, zona oeste de São Paulo. ?Depois, eu brinquei com ele, dizendo que eu queria ser ministra da Fazenda.? A ação no clube marcou a entrada oficial de Ruth na campanha de Serra.  Essa participação, segundo ela, deverá ser ?discreta?.

Além de subir em palanques, Ruth poderá participar da publicidade eleitoral gratuita de rádio e televisão. ?Aquilo que for apresentado como sendo interessante que eu faça, eu irei fazer porque estou bastante interessada em, realmente, levar essa candidatura à frente?, afirmou.

?Estou muito convencida que é o melhor candidato.? Presidente do Conselho da Comunidade Solidária e idealizadora dos programas sociais da instituição, a primeira-dama afirmou não temer a descontinuidade das ações sociais criadas pelo governo do presidente Fernando Henrique Cardoso, caso um candidato de oposição vença as eleições. ?As coisas mudam, e é natural que mudem. Acho que a gente teve um sucesso grande com todos esses programas e, principalmente, com essas idéias. Houve uma mudança geral da mentalidade, por exemplo, do empresariado, que participa de uma maneira bastante ativa hoje dos programas sociais. Quer dizer, as velhas políticas assistencialistas hoje já não tem muito como atuar.? Ruth afirmou que a participação no Comunidade Solidária – cujos programas Alfabetização, Capacitação, Artesanato e Universidade foram transformados em organizações não-governamentais (ONGs) independentes – não cessará. ?Os programas vão continuar e eu continuarei a dar o meu apoio.?